Brilhante

Aos 19 anos, estudante de Timon identifica asteroides em programa da Nasa

Ivna Lohana receberá premiação pelo feito e vai batizar um asteroide de "Luma" em homenagear a duas avós.

Imirante, com informações do IFMA

- Atualizada em 30/09/2022 às 16h12
Maranhense Ivna Lohana identificou asteroides.
Maranhense Ivna Lohana identificou asteroides. (Foto: Reprodução)

TIMON - Uma maranhense, de 19 anos, estudante de Biologia, conseguiu identificar três asteroides por meio de um programa da Nasa. As descobertas são analisadas pelo laboratório de Harvard. A jovem Ivna Lohana Nascimento Silva, que mora em Timon, comemora o feito e demonstra uma vontade de ir bem mais longe com muito estudo e determinação.

“O momento da descoberta foi algo excepcional para mim, fiquei tão feliz e pude perceber que eu poderia fazer qualquer coisa que eu desejasse”, afirmou, nesta sexta-feira (30), ao Imirante.com, a estudante do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) campus Timon. Ela poderá, em breve, batizar o corpo celeste como desejar. A timonense já tem ideia de qual nome colocar no primeiro asteroide identificado. "Ele está identificado como ILN0011, mas irei fazer a junção do nome de minha falecida avó Luiza Monteiro com o de minha avó Rosa Maria, "Luma", adiantou. Meses depois do primeiro, ela conseguiu identificar mais dois.

Ivna ingressou no grupo da Nasa, que realiza um monitoramento, em tempo real, conhecido como Caça-Asteroides. Ele é desenvolvido, desde o ano passado, por meio do International Astronomical Search Collaboration e, no Brasil, conta com a parceria do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações. Campanhas mensais com a participação de equipes são realizadas tendo a busca de asteroides como foco principal da iniciativa.

A NASA lançou uma campanha, entre os meses de julho e agosto deste ano, e Ivna conquistou o seu espaço como líder da equipe Murphy (nome escolhido em homenagem à filha do personagem principal do filme “Interestelar” – ficção científica de 2014). A sua equipe é formada, ainda, por Ana Beatriz (SP), Marina Pasqualetti (SP), Alice Pasqualetti (SP), Aline Zardo (SC), Luís Fernando (MS), Júlia (SP), Juliana (PR), Vitória Erlym (Imperatriz/MA) e Matheus (SP).

As análises dos possíveis asteroides são feitas individualmente, por meio de um software chamado Astrometrica, no qual recebe imagens diretas do espaço-profundo. Elas são transmitidas por um enorme telescópio de 1.8 metros pertencente à Universidade do Havaí. 

Ela vai receber um prêmio das mãos de Patrick Miller, matemático e astrônomo da Universidade de Hardin-Simmons dos Estados Unidos e coordenador do programa Caça-Asteroides da Nasa, ao lado do presidente da Agência Espacial Brasileira, Carlos Moura e do Ministro da Ciência e Tecnologia, Paulo Alvim.

Ivna ministra aulas particulares de Biologia, com conteúdo do 7° ao 3° ano do ensino Médio/pré-Enem, além de Bioestatística para estudantes da graduação. A estudante também coordena o projeto “Livro em Movimento”, por meio do qual promove a leitura e o desapego, incentivando o acesso à leitura. Ivna estudou tanto em escolas públicas quanto em privadas.

A jovem de Timon deseja cursar mestrado em Biologia Marinha e se especializar, também, em Astrobiologia. A Genética também está em seus planos. Pretende, ainda, prestar concurso para Perícia Criminal e trabalhar na área da Biologia Forense. Ela pretende, ainda, concluir outro curso de graduação – Engenharia Ambiental e Sanitária – e cursar mestrado em Engenharia de Materiais
 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.