Manifestação

Iracema recebe trabalhadores rurais em frente a Assembleia

Iracema Vale e Roberto Costa conversaram com manifestantes durante ato realizado em frente a Assembleia Legislativa do Maranhão

Ipolítica

Iracema e Roberto Csta durante movimento dos trabalhadores rurais em São Luís
Iracema e Roberto Csta durante movimento dos trabalhadores rurais em São Luís (Reprodução)

 SÃO LUÍS – A presidente da Assembleia Legislativa, deputada Iracema Vale (PSB) e o segundo secretário da Mesa Diretora da Casa, deputado Roberto Costa (MDB), receberam manifestantes trabalhadores rurais do estado, que realizam protestos e passeata em algumas das principais avenidas de São Luís. 

Iracema e Roberto manifestaram apoio aos trabalhadores rurais e discursaram em favor dos manifestantes, que ocuparam o trecho da Avenida Jerônimo de Albuquerque, em frente ao Legislativo Estadual, nas primeiras horas de hoje.

Em entrevista ao repórter Álvaro Luiz, da Rádio Assembleia, Iracema falou sobre a representatividade dos trabalhadores rurais do estado.

“É um movimento muito lindo e representativo, com caravanas de todo o estado do Maranhão com trabalhadores e trabalhadoras rurais, que representam 40% da nossa população, aqueles que estão lá no campo, suando para colocar comida nas suas mesas e nas nossas. Então a gente fica muito feliz e acolhe-los aqui na Assembleia Legislativa”, disse.

Roberto Costa também exaltou a mobilização dos trabalhadores. “É uma organização que a Fetaema te feito ao longo dos anos e que tem se notabilizado em defesa do homem do campo. E pela primeira vez a Assembleia Legislativa recebe “o grito da terra” movimento que vai da Assembleia até o Palácio dos Leões, para mim é um feito importante, um direcionamento de que a Assembleia está envolvida nessas políticas que são para o homem do campo e vamos continuar dando total apoio para esse movimento”, disse.

A presidente da Fetaema, Angela Silva, também falou sobre o movimento desta terça-feira. “Esse ano nós estamos realizando esse movimento com o foco na defesa dos nossos direitos, na preservação do meio ambiente, na segurança do campo e no bem-viver no campo. Estamos aqui para pautar orçamento, políticas públicas e para que o estado, o Legislativo e o Judiciário possam olhar como prioridade para a agricultura familiar”, pontuou.

Dados sobre Conflito no Campo no Maranhão

Segundo dados apresentados pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), o Maranhão é o terceiro Estado com mais conflitos no campo.

Conflitos no campo foram recorde em 2023, mas área em disputa diminuiu

Em 2023, o Maranhão registrou, de acordo com o levantamento, 171 conflitos por terra, 13 casos de trabalho escravo rural, sendo 104 pessoas resgatadas em situação análoga à escravidão, além de 22 casos de disputa por água. Com relação à violência contra a pessoa, foram registrados quatro assassinatos e sete tentativas deste crime.

Dos 5.568 municípios brasileiros, a CPT registrou violência contra pessoa em conflito no campo em 492 deles nos últimos 10 anos. A região nordeste é a que mais apresenta ocorrências de conflito, com um total de 1.146. Os municípios que apresentam a maior concentração de casos são Amarante escravidão (44), Bom Jardim (47) e Viana no Maranhão (45) e, em Pernambuco, Jaqueira com 46 casos. A região norte fica em segundo lugar, com um total de 931.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.