Greve de ônibus

Rodoviários da Grande Ilha de São Luís entrarão em greve na próxima terça-feira (6)

Sindicato afirma que empresas não estão atendendo as reivindicações dos trabalhadores.

Imirante.com

- Atualizada em 01/02/2024 às 20h43
A última greve dos rodoviários na Grande Ilha de São Luís ocorreu em abril de 2023 e durou cinco dias.
A última greve dos rodoviários na Grande Ilha de São Luís ocorreu em abril de 2023 e durou cinco dias. (Foto: Adriano Soares / Imirante.com)

SÃO LUÍS - O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (STTREMA) anunciou, na tarde desta quinta-feira (1º), por meio de suas redes sociais, que os trabalhadores do transporte público da Grande Ilha de São Luís entrarão em greve por tempo indeterminado na próxima terça-feira (6), a partir de 0h, caso as negociações com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (SET) continuem sem avanços. 

De acordo com os rodoviários, o SET ofereceu uma contraproposta com redução do valor do ticket alimentação, não assegura a manutenção do plano de saúde e não oferta qualquer percentual de reajuste nos salários, e a categoria quer garantir todos esses direitos.

"Esta decisão é respaldada pela Lei 7.783/89, devido à falta de atendimento por parte do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (SET), sobre a pauta de reivindicação dos trabalhadores, a data-base do ano vigente da categoria", diz a publicação do STTREMA, assinada pelo presidente Marcelo Brito.

O anúncio do STTREMA ocorre um dia antes do encerramento do prazo estabelecido pelo estado de greve, que foi deflagrado na última terça-feira (30), por decisão unânime dos rodoviários, após assembleia realizada em dois turnos. No estado de greve, os rodoviários poderiam paralisar as atividades em 72 horas, prazo necessário para as comunicações aos órgãos envolvidos e à Justiça, além de abrir a possibilidade de novas negociações com o SET

A última greve dos rodoviários na Grande Ilha de São Luís ocorreu em abril de 2023 e durou cinco dias. Na ocasião, o STTREMA cobrava o pagamento dos salários em atraso e a assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho, feita no início de 2023, que garantia um reajuste salarial de 7%. Os empresários alegavam que o atraso no pagamento dos salários dos rodoviários ocorreu por suspensão nos repasses de subsídios da Prefeitura, que, por sua vez, argumentou que o SET não estava cumprindo o acordo de melhorar o transporte público e não poderia repassar subsídios nessa situação.

Na última terça-feira (23), o STTREMA realizou uma paralisação de advertência no transporte público da Grande Ilha, em protesto pelo assassinato do motorista Francisco Vale Silva, ocorrido na noite de segunda-feira (22), na Avenida dos Franceses, na capital maranhense. Após a Secretaria de Segurança Pública (SSP-MA) se comprometer em reforçar as ações policiais, com o objetivo de garantir maior proteção aos usuários e trabalhadores do transporte público na capital maranhense, os rodoviários voltaram ao trabalho na quarta-feira (24).

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.