Casa Curmurim

Tribo de Jah visita Comunidade Quilombola de Itaperinha e pede auxílio para a Casa de Cultura Curumim

As doações, para construção de barracão e reforma do acervo histórico, podem ser feitas através de vaquinha online.

Imirante

A comunidade quilombola de Itaperinha, no âmbito de suas origens, foi certificada em janeiro de 2017 pela Fundação Cultural Palmares, sendo a única em Tutoia.
A comunidade quilombola de Itaperinha, no âmbito de suas origens, foi certificada em janeiro de 2017 pela Fundação Cultural Palmares, sendo a única em Tutoia. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - Durante recente turnê pelo Maranhão, a Tribo de Jah visitou a Comunidade Quilombola de Itaperinha. Na ocasião, a banda tomou conhecimento de que a Casa Curmurim precisa arrecadar fundos para a construção de um barracão, que permita melhorar as atividades realizadas por lá. Sensibilizados pelo projeto, a Tribo de Jah pede auxílio através da doação de qualquer valor através de uma vaquinha online.

“Ficamos bastante sensibilizados com as histórias do quilombo. Então, resolvemos ajudar de toda forma possível para que eles consigam realizar essa obra e continuar dando vida para um projeto tão bonito que faz parte e que preserva a história do Maranhão”, explica Juliana Beydoun, produtora da banda e esposa de Fauzi Beydoun.

A comunidade quilombola de Itaperinha, no âmbito de suas origens, foi certificada em janeiro de 2017 pela Fundação Cultural Palmares, sendo a única em Tutoia. Desenvolve atividades voltadas à formação de suas heranças culturais, com a prática e ensino de atividades como a dança do caroço, artesanato, música, teatro e história. As atividades desenvolvidas são destinadas às crianças, jovens, adultos e idosos desta comunidade. 

Atualmente, essas práticas são realizadas ao ar livre, debaixo de árvores, pois a casa que abriga os materiais históricos de nossa cultura possui um espaço muito pequeno. Desta maneira, a colaboração de recursos financeiros será destinada para a construção de um barracão, além da reforma da Casa da Cultura Curumim Quilombola, que funciona como acervo histórico e loja para venda dos produtos desenvolvidos dentro do Quilombo. 

O investimento financeiro orçamentário atual, (incluindo aquisição de materiais e mão de obra para construção) para a concretização desta necessidade é de R$ 20.000,00 (vinte mil reais).

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.