Enrascada

"Dirigentes dos partidos querem me matar", reclama presidente do PL

Valdemar Costa Neto afirmou que ação contra eleições foi pessimamente recebida por lideranças partidárias

Ipolítica

Waldemar da Costa Neto é presidente do partido de Jair Bolsonaro
Waldemar da Costa Neto é presidente do partido de Jair Bolsonaro (Valter Campanato/Agência Brasil)

BRASÍLIA - O mandatário do PL, partido do presidente Jair Bolsonaro, afirmou que colegas da legenda não receberam bem a ação contra o segundo turno das eleições presidenciais. Segundo Valdemar Costa Neto, a ação desencadeou o ódio de vários dirigentes da legenda. “Dirigentes dos partidos querem me matar”, disse em entrevista.

O desabafo foi feito antes da decisão do ministro Alexandre de Moraes que multou o partido em R$ 22,9 milhões. “Quando se fala sobre novas eleições é péssimo para o Brasil. Eu venho dizendo a eles. É uma luta para os deputados e governadores serem eleitos. Imagina fazer uma nova eleição?” , disse o presidente.

Para Valdemar, o PL não está discutindo a eleição, mas sim a história do país. “Estamos discutindo a história do Brasil. Hoje podemos ficar com uma eleição muito mal resolvida”, disse.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.