Websérie

Vale: Caminhos da Comunidade

Ao empoderar e investir nas vocações das comunidades, ajudamos a melhorar a vida e transformar o futuro. Juntos.

Publipost / Vale

Acompanhe os três vídeos.
Acompanhe os três vídeos. (Foto: Reprodução)

SÃO LUÍS - As pessoas são protagonistas das suas próprias histórias. E, quando trabalham em coletividade, geram uma força transformadora capaz de mudar a realidade para melhor. Em todas as regiões onde a Vale está presente, há vários exemplos de comunidades que se mobilizaram para implementar projetos, potencializar resultados e realizar sonhos, impactando positivamente a própria comunidade, o meio ambiente e as pessoas.

A Vale faz parte de várias dessas histórias. Ao empoderar e investir nas vocações das comunidades, ajudamos a melhorar a vida e transformar o futuro. Juntos.

“A Vale tem um histórico de engajamento e apoio social e um papel relevante nas localidades onde atua, mas queremos fazer mais. Para isso, consideramos na nossa ambição social ser um parceiro que possibilite o desenvolvimento e a autonomia das comunidades com as quais nos relacionamos, a partir do tripé educação-saúde-renda”. (Eduardo Bartolomeo, Presidente da Vale)

Para destacar a força dessas comunidades, a vale produziu a websérie #CaminhosdaColetividade.

Aqui no Maranhão, ela é composta por três episódios, a série destaca como o trabalho coletivo tem o poder de transformar uma comunidade. Vamos conhecer histórias de pessoas e projetos que geram renda de três comunidades do Maranhão vizinhas à Vale dos municípios de Açailândia, São Pedro da Água Branca e são Luís.

Conheça um pouquinho mais sobre os projetos:

Feira de Pequiá

O projeto é realizado por 26 empreendedores locais em parceria com a Vale e a Fundação Vale. A partir do incentivo à produção agrícola, apoio para a estruturação da feira, formação em gestão coletiva e estratégia de vendas promovidos pela Fundação Vale os 26 produtores implantaram a feira, que funcional quinzenalmente e beneficia toda a comunidade de Pequiá, em Açailândia.

VALE PRODUZIR E COMERCIALIZAR (São Pedro da Água Branca):

O projeto é realizado por 29 famílias com o apoio da Vale, que promove a assessoria e monitoria para o planejamento e gestão dos empreendimentos coletivos de produção, processamento e comercialização do arroz e da mandioca na comunidade Água Branca, na cidade de São Pedro da Água Branca.

Sitinho trançando arte (São Luís)

Projeto composto por um coletivo de 16 mulheres, que desde a realização da primeira fase em 2018 estão focadas na produção de artigos, como bolsas e acessórios a partir da fibra do buriti. A marca possui um catálogo com mais de 10 produtos lançados no mercado com vendas em cinco lojas. 

Participam de feiras e eventos na cidade para apresentação e comercialização dos produtos da marca Sitinho Trançando Arte. Em 2021 iniciou-se a implantação da Rede de Mulheres Artesãs, como estratégia de ação continuada e articulada, para vendas e escoamento de produtos dos Ateliês Criativos de Tecendo Saberes e Sitinho Trançando Arte com o cadastramento de 103 artesãs da região do Itaqui-Bacanga; As mulheres de Sitinho tem trabalhado no aprimoramento do produto no sentido de otimizar matéria-prima.

 Os produtos são cada vez mais avaliados pelos consumidores de forma positiva e com o destaque ao acabamento impecável. Atualmente o ateliê Sitinho Trançando Arte tem o aumento de 10% de renda das engajadas.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.