Internacional

Inflação anual da Argentina se aproxima de 90%

Preços subiram 76,6% nos primeiros dez meses do ano

Agência Brasil

- Atualizada em 16/11/2022 às 13h52
Os preços em alta geraram protestos nas ruas nas últimas semanas e levaram o governo a anunciar o congelamento no valor de bens de consumo na semana passada.
Os preços em alta geraram protestos nas ruas nas últimas semanas e levaram o governo a anunciar o congelamento no valor de bens de consumo na semana passada. (Reprodução)

BUENOS AIRES - A inflação mensal da Argentina ficou em 6,3% em outubro, informou a agência de estatísticas governamental Indec. A inflação em 12 meses, até outubro, atingiu 88%, superando a da Turquia, com o aumento dos preços continuando a minar salários e poupanças.

Os preços no país subiram 76,6% nos primeiros dez meses do ano.

A taxa de inflação mensal, que veio em linha com as estimativas dos analistas, ficou levemente acima dos 6,2% registrados no mês anterior. Analistas projetam que a inflação anual superará 100% este ano, uma das maiores taxas do mundo.

O aumento de preços em 12 meses em outubro colocou a Argentina à frente da Turquia, onde a taxa está em 85,5%, segundo o monitoramento da Refinitiv Eikon. A taxa de inflação anual da Turquia esteve um pouco acima da registrada na Argentina no último mês.

Os preços em alta geraram protestos nas ruas nas últimas semanas e levaram o governo a anunciar o congelamento de preços de bens de consumo na semana passada.

Apesar disso, o Banco Central argentino parece preparado para pausar, pelo segundo mês consecutivo, um dos ciclos de apertos mais agressivos do mundo, já que a inflação deve começar a desacelerar vagarosamente nos próximos meses.

 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.