Operação CTRL+P

Polícia Federal realiza operação em sete cidades do Maranhão contra circulação de moeda falsa

A operação quer identificar consumidores e distribuidores de 11 objetos postais com 326 cédulas falsas.

Imirante, com informações da Polícia Federal

- Atualizada em 04/11/2022 às 08h42
Dinheiro apreendido pela Polícia Federal nesta sexta (4). Foto: Divulgação/Polícia Federal.
Dinheiro apreendido pela Polícia Federal nesta sexta (4). Foto: Divulgação/Polícia Federal.

SÃO LUÍS - A Polícia Federal cumpriu 10 mandados de buscas e apreensão em São Luís e mais seis cidades maranhenses na manhã desta sexta-feira (4), durante a operação “CTRL+P”. O objetivo é combater a venda e a circulação de moeda falsa no Estado do Maranhão. 

Os mandados expedidos pela Justiça Federal foram cumpridos na capital e também em São José de Ribamar, Pinheiro, Arari, São João do Carú, Satubinha e Trizidela do Vale. 

A operação busca identificar consumidores e distribuidores de 11 objetos postais contendo um total de 326 cédulas falsas que foram enviadas via Correios dos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, onde ainda funcionam “laboratórios” clandestinos de falsificação de moeda. 

Os trabalhos contaram com a participação de 44 policiais federais da Superintendência da PF em São Luís e da Delegacia da PF em Caxias, além da colaboração dos Correios e da Unidade Especial de Repressão à Falsificação de Moeda (UERF), órgão central da Polícia Federal. 

A operação conta com 44 policiais federais. Foto: Divulgação/Polícia Federal.
A operação conta com 44 policiais federais. Foto: Divulgação/Polícia Federal.

O crime de adquirir, introduzir em circulação e/ou falsificar papel moeda está previsto no art. 289 do Código Penal Brasileiro e possui pena de 3 a 12 anos de reclusão, além de multa.

O nome da operação, CTRL+P, é uma referência ao comando usado nos sistemas computacionais para imprimir.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.