Saúde

Maranhão registra aumento de casos de dengue, zika e chikungunya em mais de 480%

Os casos de Chikungunya foram os que mais cresceram ao passarem de 76 para 1.442.

Imirante.com, com informações da TV Mirante

- Atualizada em 25/10/2022 às 12h22
No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, já são 920 casos de mortes por dengue.
No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, já são 920 casos de mortes por dengue. (Foto: Divulgação)

MARANHÃO - Os casos confirmados de Dengue, Zika e Chikungunya cresceram no Maranhão. O número de casos registrados no Estado saiu de 841 em 2021, para mais de 4.900 casos confirmados em 2022. O salto corresponde a um aumento de mais de 480%.

Os casos de Chikungunya foram os que mais cresceram ao passarem de 76 para 1.442. Só em São Luís, os casos de Chikungunya cresceram cerca de 200% em relação ao ano de 2021.

Para evitar um surto, o carro fumacê está nas ruas fazendo a pulverização com o inseticida para eliminar o mosquito adulto. O trabalho é feito principalmente nas áreas que registram maior foco.

O Secretário Municipal de Saúde de São Luís, Joel Nunes, afirmar que foi criado um comitê para analisar os números da doença na cidade. A partir desse comitê, serão realizadas ações que visam a evitar a proliferação do mosquito Aedes.

"Nós temos o comitê que é o Comitê de Operações de Emergências e que a gente analisa esses dados semanalmente e aí quando a gente percebe tendência de aumento a gente vai lá e faz a intervenção para que ela seja assertiva e efetiva”, disse Joel Nunes.

Casos no país

No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, já são 920 casos de mortes por dengue. No ano de 2021 foram 200. No Maranhão já foram 6, o que corresponde 100% a mais que no ano passado. O médico infectologista Marcelo Daher diz que o número de mortes causadas pelo mosquito Aedes aegypti cresceu e que, para evitar a mortalidade, é fundamental realizar o diagnóstico precoce.

"A gente tem uma mortalidade maior de dengue esse ano. O que realmente chama atenção, talvez por diagnóstico errado, pensando em Covid e menosprezando os sintomas da doença e quando a gente faz o diagnóstico já é mais tardio. Então, o diagnóstico precoce é muito importante também na dengue. Lembrando que Zika tem um risco muito grande na gestante por conta de uma má formação na criança e Chikungunya é uma doença incapacitante que causa dores articulares que permanecem por muitos dias, muitos meses até”, pontuou Marcelo Daher.
 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.