Notícias da Indústria

Fiema tem propostas para o desenvolvimento industrial inclusivo e sustentável do Maranhão entre 2023-2026

Os objetivos estratégicos visam melhorar o desempenho dos indicadores de competitividade do sistema produtivo maranhense.

Publipost/ Fiema

- Atualizada em 22/10/2022 às 11h47

 

Para o segmento de telecomunicações, a Fiema defende uma infraestrutura confiável e capaz de suportar as necessidades da indústria. (Foto: Divulgação / Fiema)
Para o segmento de telecomunicações, a Fiema defende uma infraestrutura confiável e capaz de suportar as necessidades da indústria. (Foto: Divulgação / Fiema)

SÃO LUÍS - As propostas da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema) entregues aos candidatos ao governo do Maranhão estão distribuídas em seis pontos: dinamização da indústria; infraestrutura e logística; educação para o mundo do trabalho; inovação e tecnologia; construção civil; e melhoria do ambiente de negócios.  Todos com foco no desenvolvimento industrial inclusivo e sustentável para o estado. O setor industrial é o segmento mais dinâmico da economia. Tem capacidade para incorporar tecnologias e inovações; oferece os melhores níveis de remuneração e possui efeito multiplicador nos setores primário e terciário. 

De maneira mais ampla, as proposições visam ao aumento da produção, produtividade e competitividade do setor industrial; melhoria da qualidade da mão de obra; estímulo à inovação; internacionalização das indústrias locais; maior interação entre os setores públicos e privados e redução das desigualdades de renda.

Para dinamização da indústria maranhense, a Fiema elencou 8 objetivos: estruturar e/ou consolidar o adensamento das cadeias produtivas mais importantes do estado (agronegócio, minerais metálicos, minerais não-metálicos, construção civil e turismo e economia criativa); ampliar e diversificar a estrutura produtiva industrial do estado; recuperar e organizar os distritos e parques empresariais; incentivar a prática dos princípios e soluções ESG nas indústrias e disseminar as oportunidades do mercado de carbono e economia verde; reformular o Fundo Estadual de Desenvolvimento Industrial do Maranhão; promover o avanço e consolidação da Indústria 4.0; ampliar o desenvolvimento de uma rede de fornecedores industriais até a 3ª geração; e fomentar e apoiar o desenvolvimento de segmentos portadores de futuro, como implantação de Zonas de Processamento de Exportação (ZPEs) e de indústrias de base biotecnológica e nanotecnológica.

Em infraestrutura e logística, as proposições da Fiema buscam diminuir custos com transporte. (Foto: Divulgação / Fiema)
Em infraestrutura e logística, as proposições da Fiema buscam diminuir custos com transporte. (Foto: Divulgação / Fiema)

Em infraestrutura e logística, as proposições da Fiema buscam diminuir os custos com transporte no recolhimento de matérias-primas e na distribuição de produtos. A recuperação das BRs 230, 226 e da MA-006 facilitará o escoamento da produção de grãos do sul do Maranhão e do Centro-Oeste do país. A Fiema propõe, ainda, um programa permanente de conservação e manutenção das rodovias estaduais, além de ações para os modais hidroviário e ferroviário, assim como a implantação de terminais de carga e de passageiros em São Luís, Imperatriz e Alcântara.

Para o segmento de telecomunicações, a Fiema defende uma infraestrutura confiável e capaz de suportar as necessidades da indústria 4.0., como tecnologia 5G e ampliação da extensão de cabos de fibra ótica. Quanto a energia, petróleo e gás o objetivo da Federação é aproveitar o potencial produtivo que o Maranhão tem para diversificação da matriz energética e exportação de energia, especialmente de fontes renováveis como a solar, eólica, biomassa e hidrogênio verde.

Edilson Baldez das Neves, presidente da Fiema. (Foto: Divulgação / Fiema)
Edilson Baldez das Neves, presidente da Fiema. (Foto: Divulgação / Fiema)


Foram também propostas, ainda no âmbito da infraestrutura e logística, uma gestão ambiental mais eficiente com universalização do saneamento básico e uma adequada política de tratamento de resíduos. Em economia circular a visão da Fiema passa pela implementação de políticas de redução de resíduos, incentivo à reciclagem e fomento à cadeia de logística reversa. Estas medidas visam a uma maior utilização dos resíduos como insumos para a produção de novos produtos.

Em educação, as propostas da Federação das Indústrias são no sentido de que o setor público reformule sua política educacional com orientação mais objetiva para as necessidades do mundo do trabalho, enfatizando novas tendências e aspectos de ciência, tecnologia e inovação. Nesse sentido, o Sistema Fiema (Sesi, Senai, IEL e Federação) se coloca como parceiro para a melhoria da educação em todos os níveis, uma pré-condição para a oferta de mão de obra qualificada e sem a qual a competitividade do sistema produtivo fica comprometida.

Para propor ações nas áreas de inovação e tecnologia, a Fiema parte da premissa de que um ambiente competitivo depende necessariamente do ambiente tecnológico. Incubadoras, aceleradoras, parques tecnológicos e científicos serão necessários para promover um empreendedorismo inovador no estado, o que hoje é quase inexistente. Dessa compreensão derivam propostas como a da criação de um Fundo e de um Conselho Estadual de Inovação; implantação de uma política de incentivos à pesquisa aplicada orientada para necessidades da indústria e aprovação da Lei Estadual de Inovação, com a adequação necessária ao marco legal das startups.

A Fiema propõe um programa permanente de conservação e manutenção das rodovias estaduais. (Foto: Divulgação / Fiema)
A Fiema propõe um programa permanente de conservação e manutenção das rodovias estaduais. (Foto: Divulgação / Fiema)

Para o segmento da construção civil, a Fiema propõe a redução do déficit habitacional que, no Maranhão (15,2%), é quase o dobro do calculado para o Brasil (8%) e superior ao do Nordeste (9,2%). Para tanto, a Federação das Indústrias defende o estímulo à construção de habitações de interesse social por agentes privados, associações ou cooperativas; a criação de condições para o crescimento das unidades produtivas que compõem a cadeia de suprimentos da construção civil; além da instituição e adesão do governo do Estado a programas federais que ampliem a oferta de unidades habitacionais para famílias e indivíduos de baixa renda ou em situação de vulnerabilidade social.

Por fim, a Fiema propõe ações para a melhoria do ambiente de negócios no Maranhão como um todo. O conceito de um ambiente favorável de negócios está associado à ideia de inclusão e sustentabilidade. O ambiente de negócios também tem impacto sobre questões como financeiro, inovação e qualificação profissional. Todos esses aspectos impactam na atração e implantação de novos investimentos. A criação de incentivos que apoiem e fortaleçam o empreendedor maranhense; realização de estudos de gestão pública que venham promover a desburocratização e humanização do processo de atendimento à classe empresarial e à sociedade; expansão do Zoneamento Ecológico-econômico para todas as demais regiões; redução do absenteísmo e dos riscos de acidentes por meio do Sistema Fiema/Sesi, assim como a divulgação dos produtos made in Maranhão estão entre as outras proposições.

Conheça todas as propostas da Fiema para o desenvolvimento industrial inclusivo e sustentável do Maranhão entre 2023-2026.
 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.