Educação

IFMA: constantes cortes de orçamento e clima de instabilidade já afetam a qualidade de ensino na instituição

Foram sucessivos cortes de recursos e o mais recente deles aconteceu em maio de 2022, quando R$ 7,7 milhões foram retirados do IFMA.

Imirante.com, com informações TV Mirante

- Atualizada em 08/10/2022 às 18h01
De acordo com Cláudio Leão, diretor-geral do IFMA Monte Castelo, em São Luís, o orçamento da instituição caiu pela metade em apenas seis anos.
De acordo com Cláudio Leão, diretor-geral do IFMA Monte Castelo, em São Luís, o orçamento da instituição caiu pela metade em apenas seis anos. (Foto: Reprodução/ TV Mirante)

SÃO LUÍS - Gestores do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) vêm se preocupando com os  constantes cortes no orçamento da instituição. Eles já percebem o prejuízo na qualidade de ensino dos campi em razão da diminuição das verbas.

De acordo com Cláudio Leão, diretor-geral do IFMA Monte Castelo, em São Luís, o orçamento da instituição caiu pela metade em apenas seis anos.

“Em 2016, quando eu assumi o primeiro mandato, o orçamento desse campus era em torno de 16 milhões de reais por ano. Em 2022, baixou para R$ 7 milhões e 500, isso no custeio. A assistência estudantil, que é uma outra rubrica, lá em 2016 era R$ 3 milhões e 500 e hoje tá em torno de R$ 1 milhão e 600”, aponta o diretor-geral do IFMA Monte Castelo.

A cada corte de verbas, a indignação dos jovens e adolescentes que estudam no IFMA aumenta. Segundo Wanderson Morais, estudante do campus Maracanã, na zona rural da capital, as diminuições no orçamento prejudicam a assistência estudantil.

“Com os cortes há a falta de assistência estudantil, que é importantíssima para que o estudante tenha passagem e dinheiro para pagar sua alimentação no refeitório”, disse Wanderson, que também é vice-presidente da União Brasil de Estudantes Secundaristas.

Durante essa semana, o Ministério da Educação chegou a anunciar um contingenciamento de R$ 2,4 bilhões, que só seriam repassados às universidades e escolas federais do país em dezembro.

No IFMA, o impacto desse bloqueio iria ser de R$ 4,6 milhões. Apesar do recuo do Governo Federal, a situação da instituição ainda é preocupante. Foram sucessivos cortes de recursos e o mais recente deles aconteceu em maio de 2022, quando R$ 7,7 milhões foram retirados do IFMA.

“O que a gente observa é que as demandas são crescentes e o orçamento não vem acompanhando o crescimento das demandas, isso gera muitas frustrações, especialmente no que a instituição pode proporcionar aos nossos estudantes. Serviços essenciais, como a segurança, limpeza, energia elétrica, estão muito ameaçados", ressaltou Carlos César, reitor do IFMA.

 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.