Semana da Amazônia

Empresa se compromete em proteger 500 mil hectares de floresta

Programa Reflorestar é um exemplo de iniciativa ambiental e socioeconômica desenvolvida pela no Maranhão.

Imirante.com

Intenção é multiplicar por mil a área total da Amazônia Legal beneficiada por medidas preservação ambiental
Intenção é multiplicar por mil a área total da Amazônia Legal beneficiada por medidas preservação ambiental (Divulgação)

SÃO LUÍS - Nesta semana em que se comemora o Dia da Amazônia (5 de setembro), a Eneva, operadora privada de gás natural com produção integrada de energia, se compromete proteger, até 2030, um total de 500 mil hectares de floresta a partir de projetos desenvolvidos pela empresa. A intenção é multiplicar por mil a área total da Amazônia Legal beneficiada por medidas de preservação ambiental e de promoção do bem-estar da população. 

Para alcançar esse objetivo, a companhia foca suas atividades em cinco eixos: o estímulo à bioeconomia e agroflorestas; o apoio a unidades de conservação; a restauração de áreas degradadas; o monitoramento territorial; e a adoção de ações em linha com o mercado de carbono. O entendimento da empresa é de que a Amazônia é de responsabilidade de todos e, por conta da sua atuação local, a companhia faz ainda mais questão de contribuir com a preservação da região.

“O Dia da Amazônia é de celebração do bioma, essencial ao equilíbrio ecológico de todo planeta. Mas é também uma data de conscientização da importância de se preservar a floresta. Fazemos isso por meio de ações que promovam a melhoria da qualidade de vida, emprego, segurança alimentar e que mantém a floresta em pé”, destaca Anita Baggio, diretora de Gente, ESG, Saúde & Segurança, Comunicação & Cultura da Eneva. 

Tradicionalmente, a Eneva opera alinhada com as comunidades do entorno dos seus ativos. Os interesses econômicos são, portanto, equilibrados com os pilares ambientais e sociais. No Maranhão, a empresa já realizou uma série de iniciativas com impacto direto para a população local. No total, investiu R$ 1,7 bilhão no estado, apenas no ano passado. 

O programa Reflorestar é um exemplo de iniciativa ambiental e socioeconômica desenvolvida pela Eneva, no Maranhão. Com esse trabalho, a empresa contribui para recuperar o bioma e preservar uma área inicial de 60 hectares nas proximidades da Bacia do Rio Mearim e no Parque Estadual do Mirador, na Bacia do Rio Itapecuru. 

Essas bacias têm um papel fundamental na economia local e no abastecimento da população. O programa é realizado em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Naturais do Maranhão, com o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Mearim e prefeituras locais.

Santo Antônio do Lopes

No município de Santo Antônio do Lopes (MA), a empresa opera seu principal complexo gerador de energia, o Parnaíba. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB local cresceu 24 vezes, de 2010 a 2019. No mesmo intervalo de tempo a renda mensal nessa região evoluiu de 1,1 salário-mínimo para 4 salários-mínimos e o pessoal ocupado assalariado passou de 584 para 1.269. 

Na cidade de Poço de Lumiar (MA), desenvolve o Projeto do Polo Agrícola Hortcanaã, com a participação de 95 famílias. Esse projeto promove sustentabilidade financeira do reassentamento da Vila Nova Canaã para desenvolver a autonomia da comunidade. Em 2020, o analfabetismo foi erradicado no município e a renda média da população cresceu 233% em cinco anos. 

A empresa ainda conta com mais dois projetos de desenvolvimento socioeconômico no Maranhão: a Associação das Mulheres Quebradeiras de Coco Babaçu (Amuquec) e o Quintal Produtivo. 

O Amuquec é um projeto realizado na cidade de Capinzal do Norte (MA) com o objetivo de fortalecer a comunidade de quebradeiras de coco babaçu. São cerca de 200 mulheres que trabalham na coleta e quebra do coco, na comercialização da sua casca e amêndoa e na produção de sabão, sabonete, azeite e carvão.

Já no município de Lima Campos, no interior do Estado, a Companhia desenvolve o projeto Quintal Produtivo, que atinge populações dos Quilombos São Francisco e Bom Jesus. Atualmente, 140 famílias são beneficiadas com o incremento da renda, a partir do desenvolvimento de práticas agroecológicas no cultivo da horta e na criação de galinha e porco. 

A Eneva ainda preside o Conselho Gestor do Programa de Desenvolvimento de Fornecedores, gerido pela Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema). O programa oferece capacitação e consultoria a empresas para aumentar o número de contratações de fornecedores locais por grandes organizações. 

Liderança operacional 

A presença da empresa no Maranhão é fundamental para a segurança energética do Estado. Na região, a empresa opera o Complexo Parnaíba, composto pelas usinas termelétricas de geração a gás natural Parnaíba I, Parnaíba II, Parnaíba III e Parnaíba IV Além delas, há dois projetos em fase de desenvolvimento: Parnaíba V e Parnaíba VI.

No total, a capacidade contratada é de 1,9 gigawatt (GW), da qual 1,4 GW já está em operação.  A energia gerada é enviada em sua totalidade para o Sistema Interligado Nacional (SIN), no subsistema Norte.

O Complexo Parnaíba é um dos maiores parques térmicos de geração de energia a gás natural do Brasil e pioneiro ao utilizar o gás produzido em campos situados no entorno das usinas, o que permite a redução de custos e de perdas no transporte do combustível. Com isso, a energia gerada pela companhia tem preços mais competitivos e menor impacto ambiental, em comparação à média do mercado. 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.