Eleições 2022

Veja como foi a sabatina com Saulo Arcangeli

Candidato ao Senado pelo PSTU foi sabatinado por três jornalista do Grupo Mirante em transmissão ao vivo.

Ipolítica

- Atualizada em 24/08/2022 às 11h06
Saulo Arcangeli é sabatinado por três jornalistas do Grupo Mirante.
Saulo Arcangeli é sabatinado por três jornalistas do Grupo Mirante. (Foto: Juliana Chaves/Grupo Mirante)

SÃO LUÍS - O candidato ao Senado da República pelo PSTU, Saulo Arcangeli, foi o entrevistado desta quarta-feira na Sabatina Imirante, transmitida ao vivo pelo pelo portal e pelo canal do Imirante.com no youtube.

Por 40 minutos ininterruptos, Arcangeli falou sobre temas como Administração Pública, Turismo, Cultura, Saúde e algumas das principais discussões que ocorrem no atual cenário no Congresso Nacional. 

Saulo Arcangeli se posicionou de forma contrária à Emenda de Relator, conhecida também como Orçamento Secreto; defendeu auditoria da dívida pública; falou sobre a instituição do turismo público e se posicionou a favor da descriminalização do aborto no Brasil, com o argumento de que a mulher tem poder sobre o seu próprio corpo.

Administração Pública

Logo no primeiro tema sorteado na dinâmica da sabatina, o candidato do PSTU se posicionou de forma contrária ao chamado Orçamento Secreto. 

“Eu tenho total desacordo com o Orçamento Secreto, principalmente por estar num estado que é recordista de orçamento secreto de vários parlamentares dos vários partidos, inclusive partido ligados aí ao Senado, o Flávio Dino, o Roberto Rocha e também ao Governo do Estado, ao senador Weverton Rocha. Então, são vários partidos; tem uma investigação no Ministério Público Federal; já foi recebido R$ 1,2 bilhão só da Saúde. O Maranhão foi o estado, pasmem, diante da situação difícil que passa a saúde do Maranhão, foi o estado que mais recebeu até junho, a verba do SUS do orçamento secreto”, disse.

Saúde

Arcangeli também criticou o que chamou de privatização da saúde pública do Maranhão, com a contratação de institutos que atuam nos diversos setores da pasta, e afirmou que há no momento uma demissão em massa de servidores contratados das UPAs.

“Agora você tem uma demissão em massa nas UPAs: Cururupu, Santa Casa, Timon, UPA do Araçagi; estão demitindo em massa, cortando direitos, porque? Por que é uma saúde pública entregue para a administração privada”, enfatizou.

Arcangeli também defendeu a descriminalização do aborto.

“A descriminalização do aborto é uma questão de saúde pública, a gente sabe que isso acontece, então a gente precisa descriminalizar o aborto para poder o estado tratar de uma melhor forma em relação à saúde pública. Essa é a nossa pauta. São mulheres que morrem por fazerem aborto clandestino, porque não têm o acesso à saúde. Nós não somos a favor do aborto - temos de fazer campanhas educativas -, mas somos a favor da descriminalização por uma questão de saúde para que a gente evite mortes. […] a mulher é dona de seu corpo. Ela que tem a responsabilidade; ela quem precisa saber, ela é quem é a dona do seu corpo e eu defendo isso. Mas, é uma questão de saúde”, pontuou.

Turismo

Já sobre o Turismo, o candidato do PSTU defendeu a instituição do Turismo Público, uma vez que as cidades exploradas pelo turismo dentro da estrutura capitalista, a exemplo de Santo Amaro - citado por Arcangeli -, têm as suas respectivas populações vivendo na extrema pobreza.

Ele afirmou que é preciso assegurar trabalho e renda para as famílias mais pobres e ao mesmo tempo permitir que a população carente também tenha acesso ao turismo dentro do estado do Maranhão e em todo o país. 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.