Eleições 2022

Veja como foi a participação de Simplício Araújo na Sabatina Imirante desta terça-feira

Candidato do Solidariedade respondeu perguntas a respeito de temas sorteados durante o programa.

Ipolítica

- Atualizada em 16/08/2022 às 11h10
Simplício será entrevistado por três repórteres do Grupo Mirante na manhã desta terça-feira
Simplício será entrevistado por três repórteres do Grupo Mirante na manhã desta terça-feira (Juliana Chaves / Grupo Mirante)

SÃO LUÍS - O candidato do Solidariedade ao Governo do Maranhão, Simplício Araújo, foi o entrevistado desta terça-feira (16) na Sabatina Imirante. O programa contou com a participação dos jornalistas do Grupo Mirante Carla Lima, Juraci Filho e Neto Cordeiro.

Entre os temas abordados, Saúde, Esporte, Administração Pública.

Saúde - Para a Saúde, o candidato defendeu a unificação dos sistemas federal, estadual e municipal para resolver os problemas da população. Segundo ele, por falta dessa conexão, muitas vezes o paciente não consegue atendimento.

“Aqui na capital, e também em outras grandes cidades do Maranhão, o grande problema é que falta gestão. Não se faz saúde apenas construindo hospitais. É necessário boas estruturas, mas, por exemplo, São Luís hoje tem três sistemas: um sistema municipal, com unidades sucateadas. Por exemplo, a porta de entrada do sistema para o ludovicense e para problemas de saúde, como por exemplo cardiovasculares, para todo o Maranhão, é o Socorrão I, um prédio tombado, antigo, que não tem as condições mais de atender a população maranhense, e nós precisamos efetivamente dar resultado à população e precisamos ter mais eficiência no gasto. Então, na minha gestão, nós vamos ter o programa chamado SIM, Saúde Integrada do Maranhão”, afirmou.

Ele defendeu diálogo com os prefeitos, para definir quem assume a gestão da saúde em cada município.

“Ou eu passarei as minhas unidades para ele, ou eu recebo as unidades dele, com os devidos recursos. Porque, às vezes, o paciente vai no sistema municipal, não tem seu problema atendido, vai para o estadual, vai para o federal, também não tem o seu problema atendido, ele acaba, às vezes, tendo que vender alguma coisa, fazer uma rifa, fazer algum tipo de movimentação para tentar o acesso, quando não vai a óbito”, destacou, pontuando que não falta recurso para a área - lembrou do caso do orçamento secreto, com alguns municípios recebendo milhões em verbas federais, mas, em alguns casos, sendo destinados "de forma paroquial”. “Para atender demandas eleitorais, e não atender a população”.

Esporte - Para o Esporte, o candidato defendeu a reformulação da Lei de Incentivo, acrescentando que pretende fazer o mesmo em relação à Cultura.

"O problema é que quem está acessando esse recurso, ou seja, quem tem acesso aos certificados oriundos da Lei de Incentivo ao Esporte, é a classe política, ou a classe que de alguma forma vai ganhar algum recurso com isso. Os atletas estão à margem nesse processo, como na Cultura também. Hoje a gente não tem a Lei de Incentivo voltada para realmente fazer cultura no Maranhão, mas para fazer eventos. Eu vou continuar com os eventos da cultura, mas a gente vai abrir uma linha de editais para quem realmente faz cultura. Para o músico, para o poeta, para aquele fazedor de cultura que realmente não tem do que viver durante o ano inteiro. É necessário que eu dê as garantias para essa pessoa para que ela faça mais poesia, mais música, para que ela continue levando para todo o Brasil esse encanto que é a cultura do Maranhão. No esporte, a mesma coisa, eu preciso consertar falhas”, disse.

Na visão de Simplício, em relação ao esporte profissional - notadamente o futebol - é necessária uma despolitização.

"A gente precisa que o esporte seja da sociedade e não dá classe política. Eu vejo com bons olhos que o Sampaio cresceu por conta do apoio político, o próprio Moto, agora, do deputado Yglésio [Moyses], também está tendo um apoio político, mas é porque não tem onde se agarrar, acaba o deputado, o político, achando que vai ter um bom resultado. Mas a gente tem que ter gestão no futebol como uma empresa privada para que a gente possa ter resultados”, comentou.

Desenvolvimento - Uma das propostas apresentadas por Simlício Araújo para fomentar o desenvolvimento econômico é a criação de um banco público digital, de forma a facilitar o acesso da população a crédito, por exemplo.

Ele também pontuou que a distribuição de um cartão de alimentação para a população carente seria mais eficaz do que a simples distribuição de cestas básicas e peixe - o que, segundo ele, pode ser usado por grupos políticos para arregimentar apoio.

O candidato do Solidariedade também propôs fomentar incentivos à produção de grãos, deixando parte da produção no Maranhão, para garantir segurança alimentar e incentivar, por exemplo, a produção de ração, gerando emprego e renda.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.