Curtas e Grossas

Conheça bem seu cachorro! (e vice-versa)

Por várias razões, os seres humanos deveriam se dar ao trabalho de conhecer um pouco mais de seus parceiros.

José Ewerton Neto

 
 

Os cachorros estão com tudo.  62 % das casas norte-americanas têm cachorros, o que significa algo próximo de 73 milhões de cachorros, só nos USA. 

O fato é que, sem padre, sem testemunha e sem documentos, o amor dos seres humanos pelos cachorros é para o resto da vida, já que, entre ambos, ainda não foi instituído o divórcio, com ou sem separação de bens. 

É por isso os seres humanos deveriam se dar ao trabalho de conhecer um pouco mais de seus parceiros. Antes que morram (sua vida é breve) e lhes deixem a sensação culposa de “Lá se foi meu melhor amigo, e nem me dei ao trabalho de conhecê-lo melhor!”

1.O relacionamento entre humanos e cachorros, como animais de estimação, data de 12 mil anos atrás. 

O que implica em dizer que já está durando mais que o clássico relacionamento macho-fêmea, cuja convivência, originada em torno dessa época, tem prazo de validade cada vez menor. As mulheres parecem ter chegado à conclusão de que é mais fácil gostar de um animal de estimação quando ele tem quatro patas: não bebe, e não tem vocação para feminicida. 

2.Os cachorros conseguem entender mais de 250 palavras e gestos. 

Ou seja, continuam evoluindo, o que deve credenciá-los, em breve, para uma temporada na cadeira principal do Palácio do Planalto. Como se sabe os últimos presidentes Lula, Dilma e Jair Bolsonaro, não conseguem entender tanto de palavras e , menos ainda, de gestos.  

3. O faro dos cachorros é de dez mil a 100 mil vezes mais forte que o dos seres humanos. 

Quando o marido tardiamente desconfia de que algo ‘cheira mal’ nas atitudes de sua esposa, o cachorro da casa já sentiu esse cheiro há muito tempo. Por isso, as esposas danadinhas deveriam tomar seus cuidados. Por via das dúvidas, não deveriam jamais deixar seus cachorrinhos trocarem confidências com seus maridos. 

4. Uma foto do centro americano de Arqueologia mostra ossos petrificados de cachorros de determinada espécime datada de 8500 anos atrás. Um estudo em larga escala do DNA sugere que o cachorro descendia de lobos da Europa no período entre 19 mil a 32 mil anos atrás. 

Ou seja, se a evolução natural fez o lobo virar cachorro e o macaco virar homem é lícito esperar que um dia os cachorros virem homens. O que traria uma grande vantagem para a humanidade, pelo menos em termos de bons sentimentos, certo?

5. O cachorro pode identificar a fonte de um som em 6/100 de segundo, usando suas orelhas como um radar.

Coitadinhos! Como não sofrem os coitados, quando seus donos põem para tocar música de dupla sertaneja próximo de seus ouvidos. Do que um cachorro não é capaz de aguentar em nome da fidelidade!

6. A marca do nariz dos cachorros é única, assim como a impressão digital dos dedos dos humanos. 

O que significa que está perto, muito perto, a carteira de identidade para cachorros. E, logo a seguir, no Brasil, o voto obrigatório para eles. 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.