Análise

PSD, SD e PSC ainda sem definição da chapa majoritária

Partidos, que têm pré-candidatos ao governo do Maranhão, buscam outras legendas para formar aliança faltando exatamente um mês para o fim do prazo das convenções partidárias.

Carla Lima/Ipolítica

- Atualizada em 06/07/2022 às 17h14
Edivaldo Júnior tem deputados estaduais e federais em seu partido, mas estes não o acompanham sempre nas agendas de pré-campanha
Edivaldo Júnior tem deputados estaduais e federais em seu partido, mas estes não o acompanham sempre nas agendas de pré-campanha (Divulgação)

SÃO LUÍS - A partir desta terça-feira, 5, fica faltando exatamente um mês para que as chapas majoritárias e proporcionais que disputarão as eleições deste ano precisam estar formadas e homologadas por meio de convenção.

Na disputa no Maranhão, a maioria dos pré-candidatos ao governo já tem a composição de suas chapas resolvidas. PDT, PSB, PSTU e PSOL/Rede já estão com os candidatos ao governo, a vice-governador e a senador.

Os partidos que ainda caminham sem um rumo definido são o PSD, SD e PSC. O primeiro, partido do pré-candidato Edivaldo Holanda Júnior, não tem indicativo de se coligar com qualquer outra legenda o que, na prática, faz com que um nome de vice teria que sair do próprio PSD.

Mas mesmo para uma chapa pura, Edivaldo Júnior enfrenta dificuldades. Nos atos de pré-campanha, por exemplo, o ex-prefeito de São Luís não consegue reunir os deputados estaduais e federais que sua legenda agora tem.

Há também uma visível falta de engajamento dos aliados a favor de Edivaldo Júnior. Nas redes sociais e nos discursos destes aliados, o ex-prefeito quase não é citado.

O Solidariedade de Simplício Araújo também é outro partido que caminha para a disputa em voo solo. A chapa de Simplício deve ser pura. Só resta saber se terá um candidato ao Senado do próprio partido ou se manterá a postura de apoiar o ex-governador Flávio Dino (PSB).

O mais partido que já avançou um pouco é o PSC do pré-candidato ao governo Lahesio Bonfim. Na legenda, o indicativo é a aliança com o Agir 36. O problema neste apoio é que o Agir 36 tem pré-candidato a senador o que dificulta a aliança do PSC com o senador Roberto Rocha (PTB).

O fato é que destes três candidatos, dois estão sendo vistos como candidatos de si mesmo. Lahesio Bonfim tem condições de ter mais alianças, mas escolhas que foram feitas têm dificultado para organizar sua chapa majoritária.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.