Curtas e Grossas

A felicidade em pessoa

Uma conversar com a Felicidade, que estava um tanto depressiva.

José Ewerton

 

 

Felicidade ou morte, acredite, é título de um livro de autoajuda da lista de best-sellers. Portanto, caro leitor, seja feliz ou morra. 

Mas, pera aí. Pense, por alguns segundos, que Anitta se diz feliz, Galvão Bueno também, e todos os EX-BBBs, todas as duplas de música sertaneja do país etc.etc. 

E agora? Tem mesmo certeza de que vale a pena ser feliz, caro leitor? 

Para resolver essa parada fomos encontrar a Felicidade. Ela própria, em pessoa, um tanto depressiva depois da Pandemia. Estava pronta para desabafar. 

- Não aguento mais.

- O quê, precisamente, Dona Felicidade?

- Tanta gente atrás de mim. Tanta procura, tanta adulação, durante e depois da Pandemia. Essa gente acha que virei o único remédio para as mazelas do mundo. E o pior é que sequer se dão ao trabalho de querer saber quem sou.

- E quem você é?

- Isso é o que eu gostaria de saber. Todos tentam explicar em vão: filósofos, escritores, cientistas... Se felicidade é isso que todo mundo pensa que eu sou, desconfio de que eu mesma nunca fui feliz e jamais vou ser.

- Se a Sra. me permite, essa tristeza abate depressa pessoas sensíveis como a senhora.

- Se fosse apenas isso... A questão é que, mesmo sem saber quem sou, de repente, me julgam capaz de resolver todos os problemas do mundo. Até das mortes. Ora, eu não sou Deus! Definitivamente, estou pra ficar louca com tudo isso!

-Poxa, dona Felicidade! Não sei o que dizer... Talvez... Bem, só me resta sugerir...

- O quê, pelo amor de Deus!

- Que tal procurar um analista, Dona Felicidade?

- Jamais! Conheço-os muito bem: eles me usam de forma imprópria, como se eu fosse vacina. Dizem: “procurem dona Felicidade, ela resolverá seus problemas”. Ora, tem lógica isso?

- A Sra. tem razão. Só desejaríamos que, pelo menos, a Sra. continuasse feliz, para o bem da humanidade. Senão...

- E quem lhe disse que me incomoda ser infeliz? Acredite, com tanta gente falando asneira a meu respeito, até que gostaria de ser infeliz, só para que me deixassem em paz, compreende? Estou prestes até a adotar um lema para mim: Infelicidade ou morte!

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.