Eleições 2022

Rubens Júnior vê estagnação de Edivaldo e queda de Weverton

Deputado federal falou sobre as eleições 2022 em entrevista ao programa O Que Interessa da rádio Mirante FM.

Ipolítica

Rubens Júnior concedeu entrevista ao programa O Que Interessa da rádio Mirante FM
Rubens Júnior concedeu entrevista ao programa O Que Interessa da rádio Mirante FM (Rick Ramos)

SÃO LUÍS - O deputado federal Rubens Pereira Júnior (PT) analisou a pré-candidatura do ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PSD) como estagnada. Ele também enxerga queda no desempenho do senador Weverton Rocha, pré-candidato ao Governo pelo PDT.

A declaração do petista ocorreu durante entrevista concedida ao programa O Que Interessa, da rádio Mirante FM, no início da semana.

Rubens Júnior falava sobre o atual cenário político e fez uma análise sobre o desempenho de cada um dos pré-candidatos ao comando do Palácio dos Leões.

Antes de considerar a suposta estagnação de Edivaldo e a queda no projeto de Weverton, Rubens apontou crescimento do aliado, governador Carlos Brandão (PSB), que disputará a reeleição no mês de outubro.

“Cada candidatura tem o seu espectro, a sua forma de atuação, uns mais fortes em segmentos ou região e outros, não. A tendência que eu vejo hoje é a seguinte: quem cresce em todas as pesquisas é o governador Carlos Brandão. Se mantiver esse ritmo de crescimento ele tem chance de vencer a eleição no primeiro. Estou afirmando que ele vencerá? Não. Até porque não tenho bola de cristal. Mas em pesquisa a gente analisa tendência. E a tendência hoje de Brandão é de crescimento”, pontuou.

“A segunda tendência que nós temos hoje é a do senador Weverton. É uma tendência de queda. Ele chegou em algumas pesquisas a ter até 26 e 27 pontos e hoje está na casa dos 20, 19, 21, dependendo do instituto e da margem de erro”, completou.

Ele falou ainda de Lahesio Bonfim.

“Quem hoje também tem uma tendência de crescimento é a candidatura do Lahesio. Quem está aqui em São Luís pode achar: ‘do Lahesio?’, mas quem roda o Maranhão percebe. Ele ta crescendo bem no segmento do bolsonarismo. Ele ta se encarnando como bolsonarismo raiz, de verdade, e há no Maranhão 25% ou 30% de bolsonarismo de verdade. É o cara que não gosta do Lula, não gosta do Ciro, gosta do Bolsonaro. Isso é um pouco mais forte na região de Balsas, Imperatriz, Açailândia e aqui em São Luís, bem menos”, disse.

Leia também: Othelino discute tramitação de emendas parlamentares com o Governo

Para Rubens, a pré-candidatura de Edivaldo Holanda Júnior, estagnou.

“A quarta candidatura é a do ex-prefeito Edivaldo. Saiu com uma boa imagem de São Luís, mas é uma candidatura que está estagnada. Estagnada do ponto de vista de pesquisa eleitoral e estagnada do ponto de vista de alianças políticas. Simplesmente não tem nenhum partido aliado. A mesma coisa vale para o Lahesio. O Lahesio ter conseguido um partido já foi um feito, porque ocorreu aos 45 do segundo tempo”, disse.

Perguntado se Edivaldo perdeu tempo, ao entrar na disputa para 2022, Rubens disse acreditar em outro aspecto.

“Não, isso é próprio da política, as vezes você tem espaço, as vezes, não. Eu já aliados de Edivaldo dizer o seguinte: 'essa campanha ta parecida com a de 2012, quando ele começou lá embaixo e cresceu bastante. A diferença é quem em 2012 nós estávamos com ele, eu inclusive. Era um grupo estruturado”, acrescentou.

Abaixo, ouça a entrevista concedida por Rubens Júnior.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.