Fraude

Prefeitura de Santa Inês diz que contrato alvo da PF é de gestão anterior

Licitação alvo da investigação somou mais de R$ 8,5 milhões.

Gilberto Léda/ipolítica

SANTA INÊS - A Prefeitura de Santa Inês manifestou-se nesta quarta-feira (27) a respeito da Operação Free Rider, deflagrada pela Polícia Federal, com apoio da Controladoria-Geral da União (CGU) para investigar possíveis fraudes licitatórias e superfaturamentos contratuais no âmbito da Secretaria Municipal de Saúde, envolvendo verbas federais que deveriam ser utilizadas para a compra de medicamentos e insumos hospitalares.

Segundo a gestão municipal, a licitação alvo do inquérito foi realizada em 2017, em gestão anterior à atual.

“Estamos colaborando com as averiguações. É de total interesse da gestão que os fatos sejam devidamente esclarecidos e a verdade seja apurada", diz o comunicado.

 

Nota oficial da Prefeitura de Santa Inês
Nota oficial da Prefeitura de Santa Inês

 

Segundo a PF, no curso da investigação, constatou-se, inicialmente, que o Município de Santa Inês realizava adesões fraudulentas a Ata de Registro de Preços de outros municípios sem que houvesse o requisito de “vantagem” para a administração pública, posto que, em um dos casos investigados, havia o sobrepreço de 215%.

Os contratos investigados, que somam mais de R$ 8,5 milhões, envolvem uma empresa sediada em Teresina (PI), que deveria fornecer diversos medicamentos e insumos hospitalares para o Município.

Na ação de hoje, foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão e sete de constrição patrimonial, com valores que chegam a R$ 8,5 milhões.

O prefeito da cidade, Felipe dos Pneus, foi afastado da função.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.