Fábrica Redução

Alumar retoma produção de alumínio no Maranhão e viabiliza abertura de mais de 2,5 mil postos de trabalho

A capacidade total, de 447 mil toneladas métricas por ano, deverá estar operacionalizada até março de 2023.

Publipost / Alumar

- Atualizada em 27/04/2022 às 21h52
Fábrica Redução estará em sua totalidade de produção até março de 2023. (Divulgação / Alumar)
Fábrica Redução estará em sua totalidade de produção até março de 2023. (Divulgação / Alumar)

SÃO LUÍS – Uma das maiores e mais reconhecidas empresas do Estado e do Brasil, o Consórcio de Alumínio Maranhão (Alumar), gerenciado pela Alcoa, reinaugura, nesta quinta-feira (28), a fábrica de produção de alumínio, chamada Redução. A reativação da fábrica, que ocorre sete anos após a suspensão das atividades, viabilizou a geração de mais de 2.500 postos de trabalho, diretos e indiretos, garantindo emprego e renda à população maranhense.

O Complexo Alumar é considerado um dos maiores na produção de alumínio e alumina do mundo. Com a visão de reinventar a indústria do alumínio para um futuro sustentável, o consórcio faz uso de energia limpa em seus processos operacionais.

Retomada das operações

De acordo com Otavio Carvalheira, presidente da Alcoa Brasil, a retomada da produção de alumínio no Maranhão, com energia limpa e renovável, coloca a fábrica Redução, da Alumar, em uma posição de sucesso, não só no mercado nacional, mas, também, no mercado internacional.

“O alumínio que volta a ser produzido aqui no Maranhão tem um baixo teor de carbono, pois a nossa fonte de energia é renovável e isso é uma vantagem competitiva muito importante, cada vez mais valorizada pelos clientes finais e pela sociedade como um todo”, afirma o presidente da Alcoa Brasil.

Otavio Carvalheira, presidente da Alcoa Brasil. (Matheus Soares / Grupo Mirante)
Otavio Carvalheira, presidente da Alcoa Brasil. (Matheus Soares / Grupo Mirante)

Investimentos

A reativação da Redução resultou em um investimento de R$ 957 milhões e faz parte da estratégia de suas consorciadas para aumento de produção face às perspectivas futuras do mercado mundial. A fábrica de alumínio da Alumar compreende três Linhas de Produção, em um complexo operacional de 710 cubas.

Segundo a Alumar, nesta primeira fase, a Redução deverá produzir 828 toneladas de alumínio, com a energização de 68 cubas, o que representa 34% da capacidade de operação das 204 cubas que compõem a Linha 01. A capacidade total, de 447 mil toneladas métricas por ano, deverá estar operacionalizada até março de 2023, usando tecnologia de ponta e dentro dos padrões mundialmente adequados às novas políticas ambientais, com energia 100% renovável.

De acordo com o diretor da Alumar, Helder Teixeira, a operação do complexo é feita por 93% de mão de obra maranhense, ou seja, quase a totalidade dos colaboradores são locais, treinados e aperfeiçoados para atuarem na indústria siderúrgica. Ainda segundo Helder, outro aspecto positivo do retorno das operações da Redução são os investimentos sociais.

“Ao longo desses anos somos reconhecidos como uma empresa cidadã. Para nós, a responsabilidade social está acima de tudo. Temos parcerias com várias instituições. Só nos últimos 10 anos, foram investidos mais de R$ 25 milhões em projetos sociais. O nosso compromisso é de continuar firmes nessa missão social, em que o meio ambiente também é um aspecto muito importante”, explica o diretor da Alumar.

Helder Teixeira, diretor da Alumar. (Matheus Soares / Grupo Mirante)
Helder Teixeira, diretor da Alumar. (Matheus Soares / Grupo Mirante)

Durante o processo para seleção de mão de obra para a reativação da Redução, a Alumar criou programas de incentivo à formação de mulheres na operação. Com isso, segundo o gerente de operação da Redução, Walmer Rocha, 50 mulheres foram contratadas e receberam capacitação para atuarem na fábrica.

“Seguimos proporcionando melhorias alinhados com a inclusão e a diversidade. Contamos, hoje em nossa força de trabalho com 20% de mulheres em nosso efetivo. Sabemos que no segmento industrial os números ainda são modestos e, por isso, buscamos parceiros que possam implementar ações para que aumentemos esse número”, conta o gerente da Redução.

Walmer Rocha, gerente de operação da Redução. (Matheus Soares / Grupo Mirante)
Walmer Rocha, gerente de operação da Redução. (Matheus Soares / Grupo Mirante)

Sobre a Alumar

Localizado a 25 km do Centro de São Luís, o Complexo Alumar foi inaugurado em 1984 e é formado pelas empresas Alcoa, Rio Tinto e South32 e desempenha um papel importante no Maranhão. Cerca de 90% de seus colaboradores são maranhenses, além de contar com centenas de fornecedores locais.

O Complexo Industrial da Alumar compreende o Porto, as instalações da Refinaria, da Redução e o Parque Ambiental. 

O sistema de gestão da Alumar é integrado e engloba gestões de qualidade, saúde, segurança e meio ambiente estabelecido com base nas normas NBR ISO 9001, NBR ISO 14001 e NBR ISO 45001. Em 2019, obteve a certificação ASI (Aluminium Stewardship Initiative), o mais importante Selo de Sustentabilidade na cadeia de valor do alumínio.

Responsáveis pela reativação da Redução. (Matheus Soares / Grupo Mirante)
Responsáveis pela reativação da Redução. (Matheus Soares / Grupo Mirante)

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.