Data comemorativa

Consumidor de São Luís pretende gastar mais com o presente do Dia das Mães

Pesquisa da Fecomércio/MA mostra que 66,6% dos entrevistados pretendem presentear.

Imirante.com

Dia das Mães é considerado a segunda melhor época do ano para o varejo, atrás apenas do Natal
Dia das Mães é considerado a segunda melhor época do ano para o varejo, atrás apenas do Natal (Divulgação)

SÃO LUÍS - Considerada a segunda melhor época do ano para o varejo, atrás apenas do Natal, o Dia das Mães de 2022 deve impactar positivamente o comércio de São Luís. A pesquisa de Intenção de Consumo para a data, realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio-MA), mostra que 66,6% dos entrevistados pretendem presentear.

O resultado positivo representa um crescimento de 5,1 pontos percentuais em relação ao último levantamento realizado em 2019, quando 61,1% tinham a mesma pretensão. A fatia de consumidores que não iriam presentear reduziu consideravelmente de 28,1% em 2019, para 16,4% em 2022, apontando que mais pessoas devem presentear suas mães.

O otimismo do consumidor ludovicense neste ano vem como um bônus para ajudar a impulsionar a economia local, cujo cenário já se aproxima daquele precedente à pandemia, quando 71,1% dos entrevistados declararam ter a intenção de presentear no Dia das Mães na pesquisa de 2018.

“O reflexo da pandemia da Covid-19 já é bem menor que nos últimos meses e com a flexibilização total das atividades econômicas, retornando ao cenário de normalidade pré-pandêmica, temos uma maior aproximação dos consumidores junto ao varejo”, aponta José Arteiro, presidente da Fecomércio-MA.

Mimos mais caros

O levantamento também demonstrou que o consumidor local pretende aumentar o aporte na hora de comprar o mimo. O gasto médio por presente subiu, chegando a R$ 169,00, ou seja, R$ 25,00 mais caro que em 2019, época na qual o ludovicense pretendia gastar, em média, R$ 144,00.

Neste ano, o bom sinal de aquecimento do comércio de São Luís e da intenção do consumidor em gastar mais com o presente tornou-se limitado pela inflação acumulada do período que foi de 21,99%, acima do crescimento de 17,36% na intenção de gastos com o presente. Em termos reais, o valor médio por presente corrigido pela inflação acumulada de 2019 a 2022 seria de R$ 175,66.

Com o valor por presente ‘mais salgado’, o consumidor não deve engordar tanto a sacola de compras. Em relação ao último levantamento, o valor médio total da compra para o Dia das Mães em 2022 apresentou estabilidade e está estimado em R$ 259,00. Em 2019 o valor ficou em R$ 260,00.

Perfil do Consumidor

O consumidor deste ano tem um perfil ‘mais gastador’ porque as sucessivas altas nos preços decorrentes da inflação encareceram o presente das mães. Ainda assim, mesmo com intenção de gastar mais com o presente individual, a pesquisa mostra que o consumidor deverá reduzir a quantidade de produtos em relação ao levantamento anterior para estabilizar o valor total da compra nos mesmos patamares de 2019.

O resultado demonstra influência do nível de rendimento local e da inflação que tem incentivado a redução do potencial de compras no Dia das Mães. Neste mesmo período em 2018 e 2019, o rendimento médio ludovicense era de, respectivamente, R$ 1.801,50 e R$ 2.279,30. Com maior renda disponível para compra, os consumidores puderam ampliar sua cesta de presentes. Em 2022, isto não tem se repetido, uma vez que a renda média do ludovicense estacionou em R$ 1.920,30, 15,75% menor que a renda média em 2019.

Entre os interessados em comprar algum produto para a data, a pesquisa mostra vantagem para o gênero feminino. Do total de mulheres entrevistadas, 71,6% têm a intenção de presentear no Dia das Mães. Entre os homens, a parcela que deve comprar algum mimo é de 60,7%.

Entrevistados

A Pesquisa de Intenção de Compras para o Dia das Mães foi realizada nos dias 4 e 5 de abril de 2022, no município de São Luís. Para o levantamento, 700 pessoas foram entrevistadas em diversos pontos da cidade, com o objetivo de abranger ao máximo do perfil de consumidores. 

O público-alvo são consumidores com idade igual ou superior a 18 anos, que possam reproduzir o perfil de consumo local. O nível de confiança do levantamento é de 95% com erro amostral de 3,7%, para mais ou menos.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.