Outubro Rosa

Entre 2020 e 2021 o Maranhão registrou quase 1.700 casos de câncer de mama e 430 mortes pela doença

Segundo o Inca, para o Maranhão são estimados 840 novos casos de câncer de mama para cada ano do triênio 2020 - 2022. E em São Luís, são estimados 330 novos casos de câncer de mama no mesmo período.

Imirante.com

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h01
A mamografia deve ser realizada anualmente pelas mulheres acima de 40 anos, pois este é o único exame capaz de detectar lesões iniciais.
A mamografia deve ser realizada anualmente pelas mulheres acima de 40 anos, pois este é o único exame capaz de detectar lesões iniciais. (Foto: Divulgação/SES-MA)

SÃO LUÍS - De 2020 a 2021, o Maranhão registrou 1.699 casos de câncer de mama, sendo 1.221 notificações em 2020 e 478 casos em 2021. Além disso, o Estado registrou nesse período 430 foram mortes em decorrência da doença, sendo 250 óbitos em 2020 e 180 em 2021.

Os dados são da Secretaria de Estado da Saúde (SES), que não informou se o quantitativo inclui ambos os sexos ou apenas as mulheres.

Segundo os dados mais recentes divulgados pelo Atlas de Mortalidade por Câncer (SIM) do Instituto Nacional de Câncer (INCA), em 2019 o Maranhão registrou 268 mortes por câncer de mama, sendo dois óbitos de homens e 262 de mulheres. Desse total, 66 mortes aconteceram em São Luís (2 homens e 64 mulheres).

Na região Nordeste, o SIM apontou o registro de 4.111 mortes por câncer de mama em 2019, sendo 4.044 homens e 67 mulheres. Já no contexto nacional, houve o registro de 18.295 mortes no Brasil, em 2019, por câncer de mama (18.068 mulheres e 227 homens).

No mês da campanha Outubro Rosa, os órgãos de saúde chamam a atenção para a prevenção e combate ao câncer de mama, destacando a importância do diagnóstico precoce da doença, pois esse é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo.

No Maranhão, a campanha Outubro Rosa 2021 tem como tema “A Prevenção Dura O Ano Todo. O Combate Também”. E, segundo a SES, durante todo o mês de outubro serão realizadas ações, simultaneamente, em todas as unidades da rede estadual de saúde. Entre os serviços específicos para a campanha está a ampliação da oferta de consultas com mastologista e exames de mamografia.

A SES destaca que, apesar da oferta de exames e consultas com especialistas ocorrer durante todo ano, durante o mês de outubro serão disponibilizados na rede estadual de saúde mais de 4.500 exames de mamografia para o público-alvo: mulheres de 40 a 69 anos. As mulheres dentro da faixa etária de rastreamento podem agendar a mamografia na rede estadual de saúde, sem necessidade de encaminhamento do SUS.

“Nós disponibilizamos o exame de mamografia o ano inteiro e, especificamente neste mês, estamos fortalecendo as ações no Hospital de Câncer, aumentando a quantidade de exames de mamografia. Realizaremos o exame de domingo a domingo com possibilidade de expansão para o turno noturno, de acordo com a demanda. E de acordo com os resultados, faremos logo o encaminhamento ao médico mastologista”, explica a diretora-geral do Hospital de Câncer do Maranhão, Ana Carolina Marques.

Raissa Cruz, médica mastologista, reforça a necessidade da realização anual da mamografia.

“Sabemos que o câncer de mama é um câncer com uma prevalência muito alta, e se for realizado o diagnóstico precoce, a chance de cura também é muito alta. Por isso, a mamografia deve ser realizada anualmente pelas mulheres acima de 40 anos, pois este é o único exame capaz de detectar lesões iniciais”, comenta a médica Raíssa Cruz.

Agendamentos

Para agendamento da consulta e/ou exame é necessário procurar um dos canais de marcação e ter em mãos o cartão do SUS, comprovante de residência e cartão de vacinação. Os canais são: App Viva Procon, site www.procon.ma.gov.br, Disque Saúde (3190-9091) ou presencialmente nos Vivas (Beira Mar, Golden Shopping, Shopping da Ilha, Pátio Norte Shopping, Viva BR, Terminal São Cristóvão).

Somente para agendamento com mastologista é obrigatório o encaminhamento do SUS.

Estimativas

Segundo o Inca, o órgão dispõe de estimativas de novos casos, uma pesquisa feita a cada três anos. Os dados atuais correspondem ao triênio 2020 – 2022.

Com base nesse levantamento, para o Brasil, estimam-se 66.280 casos novos de câncer de mama, para cada ano do triênio 2020-2022. Esse valor corresponde a um risco estimado de 61,61 casos novos a cada 100 mil mulheres.

Sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer de mama feminina ocupa a primeira posição mais frequente em todas as Regiões brasileiras, com um risco estimado de 81,06 por 100 mil na Região Sudeste; de 71,16 por 100 mil na Região Sul; de 45,24 por 100 mil na Região Centro-Oeste; de 44,29 por 100 mil na Região Nordeste; e de 21,34 por 100 mil na Região Norte.

Na região Nordeste, são estimados 13.190 novos casos de câncer de mama para cada ano do triênio 2020 – 2022.

Já para o Maranhão, são estimados 840 novos casos de câncer de mama para cada ano do triênio 2020 – 2022. E em São Luís, são estimados 330 novos casos de câncer de mama para cada ano do triênio 2020 – 2022.

Câncer de mama

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células anormais da mama, que forma um tumor com potencial de invadir outros órgãos.

Há vários tipos de câncer de mama. Alguns têm desenvolvimento rápido, enquanto outros crescem lentamente. A maioria dos casos, quando tratados adequadamente e em tempo oportuno, apresentam bom prognóstico.

O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença.

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento para o câncer de mama em Unidades Hospitalares especializadas.






Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.