Em São Luís

Funcionários da Caema são presos por fraudes em cobranças de dívidas

Segundo a polícia, que a fraude resultou em um prejuízo de R$ 500 mil para a Companhia de Saneamento.

Imirante.com, com informações da Polícia Civil do Maranhão

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h01
Além das prisões, a polícia ainda cumpriu mandados de busca e apreensão.
Além das prisões, a polícia ainda cumpriu mandados de busca e apreensão. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

SÃO LUÍS – Dois funcionários da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA) foram presos pela Polícia Civil do Maranhão, suspeitos de envolvimento em um esquema que fraudava cobranças de dívidas de clientes.

Os suspeitos foram presos preventivamente durante uma operação realizada nos últimos dias 20 e 21 de setembro, pelo Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos (DCCT/SEIC).

Além das prisões, a polícia ainda cumpriu mandados de busca e apreensão.

Segundo o Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos, de forma totalmente fraudulenta, os funcionários acessavam o sistema da companhia para verificar os clientes que possuíam débito, com isso, entravam em contato como se fosse do setor de cobranças para ofertar aos clientes valores abaixo do valor real para realizar a quitação do débito.

Tomado conhecimento do fato, o Departamento de Crimes Tecnológicos iniciou às investigações e análise dos rastros deixados pela conduta criminosa que resultou em um prejuízo de R$ 500 mil para a companhia de saneamento.

Após os procedimentos de praxe (cumprimento do mandado e interrogatórios) os presos foram encaminhados ao Sistema Penitenciário, e os objetos apreendidos serão analisados a fim de aprofundar as investigações.

Em nota, a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA) informa que as prisões decorrem de denúncias encaminhadas pela própria Companhia à polícia.

Veja a nota na íntegra:

Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA) informa que as prisões decorrem de denúncias encaminhadas pela própria Companhia à polícia, a partir da constatação de indícios de irregularidades realizada pelo Controle Interno da Empresa.

Como principal prejudicada e interessada no processo de investigação, a Caema segue acompanhando as averiguações e colaborando com as autoridades .

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.