No Bairro de Fátima

Extrema vulnerabilidade: idosa é resgatada de casa tomada por lixo e fezes em São Luís

A idosa, que possui baixa visão, foi encontrada sozinha em sua residência, que estava tomada por lixo, fezes, vegetação e até animais peçonhentos.

Imirante.com, com informações da DPE-MA

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h02
No local, não havia energia elétrica e a única água disponível era a água da torneira do banheiro, que se encontrava em condições insalubres. / Foto: Divulgação/DPE-MA.
No local, não havia energia elétrica e a única água disponível era a água da torneira do banheiro, que se encontrava em condições insalubres. / Foto: Divulgação/DPE-MA.

SÃO LUÍS – Uma idosa de 66 anos, que vivia em situação de extrema vulnerabilidade social, no Bairro de Fátima, em São Luís, foi resgatada por uma equipe da Defensoria Pública do Estado (DPE-MA) e por outros órgãos que compõem a rede protetiva do idoso na capital.

O resgate foi feito nesta sexta-feira (24) esse, segundo a DPE-MA, foi o quinto resgate de pessoa idosa realizado neste ano na capital maranhense.

A idosa, que possui baixa visão, foi encontrada sozinha em sua residência, onde vivia com um sobrinho, que, de acordo com a denúncia recebida, é usuário de drogas.

De acordo com a DPE-MA, a residência não possui nenhum móvel ou eletrodoméstico e estava tomada por lixo, fezes, vegetação e até animais peçonhentos. No local, não havia energia elétrica e a única água disponível era a água da torneira do banheiro, que se encontrava em condições insalubres.

Veja a casa em que a idosa morava

Ainda segundo a Defensoria, além do abandono e da negligência, há a suspeita de que a idosa tenha sido vítima de violência sexual e de violência patrimonial, tendo em vista que ela é aposentada.

A mulher foi resgatada do imóvel com o suporte do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Ela foi encaminhada para o Hospital Nina Rodrigues para avaliação médica e logo após será conduzida para a Casa de Acolhimento Temporário. Além do resgate da idosa, a rede protetiva garantiu a higienização do imóvel com o apoio do Comitê Gestor de Limpeza Urbana de São Luís.

De acordo com a coordenadora do Centro Integrado de Atenção e Prevenção à Violência contra o Idoso, Isabel Lopizic, a mulher deverá permanecer na casa de acolhimento até que sejam regularizados os vínculos familiares com parentes que possam assumir seus cuidados. Caso não seja possível reintegrá-la ao convívio familiar, ela deverá ser encaminhada a uma instituição de longa permanência de idosos (ILPI).

Saiba mais:



Segundo o defensor público do Idoso, Vinicius Goulart, o trabalho em rede foi fundamental para garantir o resgate da vítima e a devida adoção de providências. “Assim como em outras ações, hoje pudemos contar com muitos atores, como enfermeiros, bombeiros, a delegada do Idoso, os profissionais de limpeza e demais presentes. Todos unidos, exercendo suas atribuições, permitiram que essa idosa fosse retirada dessa situação de extrema vulnerabilidade e possa ter sua dignidade de volta”, pontuou.

Saiba mais:



Participaram da ação de resgate o Núcleo de Defesa da Pessoa Idosa e o Centro Integrado de Atenção e Prevenção à Violência contra o Idoso (Ciapvi) da Defensoria Pública do Estado, a Comissão da Mulher e da Advogada e a Comissão da Pessoa Idosa da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Maranhão (OAB-MA), o Conselho Municipal dos Direitos do Idoso de São Luís, a Delegacia do Idoso, o Cras e Creas Coroadinho, o Cras Bairro de Fátima, o Comitê Gestor de Limpeza Urbana de São Luís, a Casa De Acolhida Temporária (CAT) e a Superintendência de Ações a Saúde - Atenção Primária à Saúde.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.