Em Pindaré Mirim

Acusado de tentar matar vigia de hospital é condenado a 7 anos de prisão

A vítima foi atacada a golpes de faca, tendo sobrevivido graças à intervenção de terceiros.

Imirante.com

- Atualizada em 30/11/2022 às 16h54
Testemunha sendo ouvida pelo Tribunal do Juri.
Testemunha sendo ouvida pelo Tribunal do Juri. (Foto: Divulgação)

PINDARÉ-MIRIM - O réu José Ribamar Lindoso Andrade, conhecido pelo apelido de ‘Coração’, foi condenado pelo Tribunal do Júri da Comarca de Vara Única de Pindaré Mirim a 7 anos de reclusão, pelo crime de tentativa de homicídio. 

Moacir Sousa Nunes, vítima do crime, trabalhava, na época dos fatos, como vigia de um hospital da cidade e foi atacado a golpes de faca, tendo sobrevivido graças à intervenção de terceiros.

A sessão do Tribunal do Júri foi realizada nessa quarta-feira (29), no Salão do Júri do Fórum de Pindaré-Mirim, sendo presidida pelo juiz titular da Comarca, João Vinícius Aguiar dos Santos. Além do juiz, o julgamento contou com a atuação do promotor Cláudio Borges dos Santos, na acusação, e do advogado Pedro Ícaro Cochrane Santiago Viana, que trabalhou como defensor do réu José de Ribamar Lindoso Andrade.

Culpabilidade

Segundo a Corregedoria Geral de Justiça do Maranhão (CGJ-MA), o Conselho de Sentença, por maioria de votos, reconheceu a autoria e a materialidade do crime e reconheceu a tentativa de homicídio, afirmando que o crime apenas não se consumou por circunstâncias alheias à vontade do réu.

Por fim, ‘Coração’, foi considerado culpado pelo conselho de sentença e recebeu a pena de 7 anos de reclusão, a ser cumprida em regime semiaberto.

O crime

Conforme narrou a denúncia do caso, o crime aconteceu em 28 de agosto de 2015, quando Moacir encontrava-se no seu local de trabalho, que era o de vigia do Hospital Municipal de Pindaré-Mirim. A certa altura da noite, ‘Coração’ chegou, perguntando se havia algum médico que pudesse medir sua pressão.

O denunciado foi, então, orientado por Moacir a entrar e falar com a enfermeira. Lá, foi informado que o médico estava ocupado realizando um parto. A enfermeira mediu a pressão de José de Ribamar, que saiu em seguida. Entretanto, ao chegar na saída do hospital, ele continuou falando com Moacir, dizendo que fazia questão de ser atendido pelo médico.

O vigia disse, então, que ‘Coração’ voltasse pela manhã. Demonstrando irritação e aparentando embriaguez, ele teria dito o seguinte a Moacir: “Ah, coroa, então o médico vai ficar pra ti”.

No mesmo instante, o homem sacou uma faca e atacou Moacir, atingindo-o.

Mesmo ferido, o vigilante conseguiu segurar a mão de ‘Coração’, sendo ajudado em seguida pelo motorista da ambulância. Moacir foi imediatamente levado para dentro do hospital, sendo socorrido e atendido pela enfermeira de plantão.

Devido à gravidade dos ferimentos, o vigia foi transferido para Santa Inês. O denunciado fugiu após crime, sendo capturado depois.

 

 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.