Crise na Venezuela

Maduro sinaliza que permanecerá no poder e pede apoio à população

Nas redes sociais, presidente venezuelano fala em "união nacional".

Imirante.com, com informações da Agência Brasil

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h14
Nicolás Maduro, presidente da Venezuela.
Nicolás Maduro, presidente da Venezuela. (Foto: divulgação)

CARACAS (VENEZUELA) - No momento em que o Grupo de Lima aprova uma declaração em defesa de eleições livres na Venezuela e do fim do governo do presidente Nicolás Maduro, o venezuelano pede à população para que o apoie e promete manter-se no poder. Maduro disse hoje (25), na sua conta pessoal no Twitter, que os problemas internos do país devem ser resolvidos com “união nacional”.

“Na Venezuela reina a autodeterminação do nosso povo. Resolvemos os problemas com união nacional e o governo bolivariano que eu presido. Juntos pela Venezuela”, disse Maduro, fazendo críticas aos Estados Unidos e demais países que apoiam o presidente interino, Juan Guaidó.

O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, ressaltou que há uma orquestração internacional, liderada pelos norte-americanos, para promover intervenção em território venezuelano.

Em declaração aprovada hoje, o Grupo de Lima afastou a hipótese de intervenção,defendendo que a solução para a crise venezuelana siga o caminho pacífico e por meio da população.

O chanceler venezuelano insistiu que há uma disputa internacional pelo petróleo venezuelano. Segundo ele, o governo de Maduro atua para proteger a soberania do país.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.