Justiça do Trabalho

Campanha incentiva troca de recicláveis por mudas de árvores

Evento será realizado na próxima terça, na sede das Varas Trabalhistas de São Luís.

Ascom/TRT

- Atualizada em 27/03/2022 às 12h48

SÃO LUÍS - O Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão realiza, na próxima terça-feira (21), a campanha “Faça a diferença no mundo: troque lixo por vida”. O evento começa às 8h, no estacionamento do Fórum Astolfo Serra, sede das Varas Trabalhistas de São Luís (Avenida Senador Vitorino Freire, s/n, Areinha), onde materiais recicláveis poderão ser trocados por mudas de árvores. Participam do evento, magistrados, servidores, advogados e jurisdicionados. A iniciativa está prevista no Planejamento Estratégico do Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão, com o objetivo de promover a responsabilidade ambiental.

A presidente da Comissão Ambiental, Mônica Raquel Gomes Lima Duailibe, explica que a realização da campanha foi sugerida pelos servidores da 3ª Vara do Trabalho de São Luís, durante a oficina “Desdobrando a Estratégia”, relacionada ao Planejamento Estratégico do Tribunal. Os servidores também apontaram a necessidade do plantio de árvores no estacionamento do Fórum.

Durante a campanha, na terça-feira (21), pela manhã, os interessados em participar podem levar materiais recicláveis como plástico, latinha, vidro e papel para trocar por mudas de árvores e levar para casa. Na ocasião serão plantadas, no estacionamento do Fórum, mudas da espécie sombreiro, doadas pelo Parque Ambiental da Alumar.

Agenda Ambiental

A campanha está sendo organizada pela Comissão Ambiental do TRT. Mônica Duailibe ressalta que a comissão passa por uma reestruturação que tem como marco o início dos procedimentos para se formalizar a adesão do Tribunal ao Programa Agenda Ambiental na Administração Pública, conhecido pela sigla A3P. O programa visa sensibilizar os gestores públicos para as questões ambientais, estimulando-os a incorporar princípios e critérios de gestão ambiental em suas práticas rotineiras assim como promover a inserção da responsabilidade socioambiental em todas as atividades governamentais.

“A adoção dessa nova cultura implica a geração de economia de recursos naturais e institucionais e, consequentemente, uma redução dos gastos, o que nos remete ao cumprimento da Meta 6, uma das 10 metas prioritárias de 2010 para todo o Judiciário do país”, disse a presidente da Comissão.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.