Sarney destaca investimentos estaduais na região de Balsas

O Estado do Maranhão

- Atualizada em 27/03/2022 às 15h29

Balsas foi uma das cidades privilegiadas com a presença de José Sarney no palanque da coligação “O Maranhão Segue em Frente”. Em discurso de quase uma hora, o senador citou os avanços da administração Luiz Rocha e das obras introduzidas pelo Governo Federal quando era presidente. Sarney falou também do inevitável - a renúncia do ex-candidato a governador Roberto Rocha em favor da chapa de Jackson Lago e Epitácio Cafeteira, da Frente Trabalhista.

Mais de 12 mil pessoas viram e ouviram Sarney falar da necessidade de manter coeso o apoio político e popular ao grupo que tem trabalhado para tirar o Maranhão do atraso. Além dos candidatos majoritários José Reinaldo, Edison Lobão e Roseana Sarney, políticos e várias lideranças assistiram ao discurso emocionado do senador. Entre os prefeitos estavam Bento Coelho (Feira Nova), Francisco Cardoso (São Raimundo das Mangabeiras), Antônia Jucá (Carolina), Renato Ribeiro (Nova Colina), Raimundo Costa (Alto Parnaíba), Joãozinho Dantas (Sambaíba) e Hélio Martins (São Félix de Balsas), que indicaram os candidatos da coligação para o voto do eleitorado de Balsas e dos municípios vizinhos.

Também presentes em Balsas os candidatos a deputado federal Aparecida Furtado e Chico Coelho (que disputa a reeleição), Stênio Rezende e os candidatos a deputado estadual Crisógono Vieira e Domingos Holanda, além de vereadores e lideranças da região. O candidato à reeleição para senador, Edison Lobão, foi rápido no discurso sobre seu currículo e reforçou as críticas a Epitácio Cafeteira. “Ele abandonou a política e agora quer voltar”, ironizou.

AVANÇOS - A expectativa maior era pelo discurso de Sarney, que começou lembrando a época em que a viagem Balsas-São Luís obrigava os viajantes a seguirem pelo rio Balsas até Teresina, de onde vinham de trem para São Luís, num trajeto cansativo de 28 dias.

“Tracei um projeto para tirar o Maranhão do atraso e colocá-lo no caminho do desenvolvimento. Fiz o primeiro asfalto de São Luís a Teresina e de São Luís a Açailândia. Abri a primeira estrada de piçarra de São Luís a Balsas. O destino me deu a satisfação de ter uma filha como Roseana, e hoje o Maranhão é todo interligado com asfalto”, relembrou Sarney.

Ressaltou que a energia chegou ao Maranhão por suas mãos, quando comandou a construção da Hidrelétrica de Boa Esperança e, depois, como presidente da República, a Usina de Tucuruí, gerando eletricidade para todo o Estado.

“Quem fala mal de mim, vem pelas estradas que eu abri e Roseana asfaltou. Quem usa a praça pública para falar mal de mim, é graças à energia que eu trouxe. Dizem que eu mando há 40 anos no Maranhão, mas eles governaram também durante esse tempo, e, por conveniência, não contam com isso”.

Sarney acrescentou: “Como líder político, fiz um filho de Balsas governador - o meu amigo Luiz Rocha. Se estivesse vivo, com certeza, estaria do meu lado e jamais subiria num palanque com Cafeteira. Quando Cafeteira assumiu o Governo do Estado deixado por Luiz Rocha, abriu 11 inquéritos contra ele. Até a comida servida no Palácio ficou sob investigação, tamanha era a mesquinharia. Jamais posso pensar que Luiz Rocha, na eternidade, possa concordar em alguma aliança com Cafeteira”.

RENÚNCIA – Ainda sobre a decisão do deputado tucano, Sarney disse que o Roberto Rocha é um jovem político. “Se tivesse me procurado para um conselho, eu lhe diria que essa renúncia ia acabar com sua vida política, porque o povo vai cobrar essa atitude até o fim de sua vida. José Reinaldo é um dos homens com maior bagagem e experiência que o Maranhão já teve. Qual o projeto de doutor Jackson? O que ele já fez por esta região? Nós, sim, temos um projeto de continuidade administrativa”.

O senador disse à população de Balsas que Jackson só tem o projeto de derrotá-lo. “Por que eles não tentam me derrotar trabalhando mais do que eu trabalhei e conquistando mais que minhas conquistas? Roberto Rocha está num programa de ódio e perseguição, enquanto Luiz Rocha tinha amor, amizade e admiração”.

José Sarney encerrou o discurso adiantando que José Reinaldo vai construir o ramal ferroviário da Norte-Sul a Balsas e que, até o fim do ano, abre licitação para iniciar as obras. E pediu votos para Lula, candidato a presidente da República.

O último discurso coube ao governador José Reinaldo, que falou rapidamente às 12 mil pessoas, destacando que Balsas representa o Maranhão do desenvolvimento. “Há dez anos, o município produzia 70 toneladas de grãos e hoje chega á produção de 800 toneladas graças à infra-estrutura desse grupo político que está no palanque”.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.