Investigação

Mulher é presa suspeita de dar à luz e queimar recém-nascido no interior do Maranhão

Mulher ainda será ouvida pela Polícia Civil; suspeita confessou o aborto à Polícia Militar.

Imirante.com

- Atualizada em 17/08/2022 às 20h02
Mulher foi conduzida à delegacia.
Mulher foi conduzida à delegacia. (Foto: Divulgação)

IMPERATRIZ - Uma mulher foi conduzida e apresentada na Delegacia Regional de Imperatriz, na região tocantina do Estado, na tarde desta terça-feira (16), suspeita de queimar um recém-nascido, no município de Sítio Novo, distante 623 km de São Luís.

De acordo com a Polícia Militar (PM), ainda não se sabe se o bebê nasceu vivo e com quantos meses de gestação a mulher estava, o que deve ser analisado pela perícia ou confirmado em depoimento. 

Moradores da cidade desconfiavam que a mulher estava grávida, mas ela teria tentado esconder a gestação e chamou a atenção dos vizinhos. Eles fizeram buscas na casa e encontraram em uma área de mato o corpo carbonizado.

De acordo com o sargento Cortez, do 34º BPM, a mulher confessou o aborto. “A gente recebeu uma denúncia anônima que uma senhora tinha feito um aborto, colocado o feto no quintal e posto fogo. Nós localizamos ela, e ela relatou que tinha feito o aborto, só que não relatou que tinha posto fogo. Foi posto em uma caixa, está queimada, parte do corpo queimado, e o perito recolheu. Fomos verificar lá no quintal e constatamos a situação”, disse o sargento.

O corpo do recém-nascido foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML). A mulher ainda vai ser ouvida pela Polícia Civil.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.