21 anos de reclusão

Acusado de assassinato e tentativa de homicídio é condenado em Grajaú

Ele foi acusado de ter matado, a golpes de faca, a vítima Joserlan Sousa dos Santos.

Divulgação/MP-MA

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h01
A  sessão do tribunal do júri foi realizada no fórum da Comarca de Grajaú.
A sessão do tribunal do júri foi realizada no fórum da Comarca de Grajaú. (Arte: Imirante.com)

GRAJAÚ - A juíza Selecina Locatelli, titular da 1ª Vara da Comarca de Grajaú, presidiu na última quinta-feira (26) uma sessão do tribunal do júri na unidade judicial. Haulles dos Santos Gomes foi condenado a 21 anos e 3 meses de reclusão, pena a ser cumprida, inicialmente, em regime fechado. Ele estava sendo acusado de ter matado, a golpes de faca, a vítima Joserlan Sousa dos Santos. Ele deverá permanecer preso. A sessão do tribunal do júri foi realizada no fórum da Comarca de Grajaú.

De acordo com a denúncia do caso, o crime aconteceu em 29 de novembro de 2019. Foi apurado que Haulles dos Santos Gomes teria matado Joserlan a facadas. Além desse crime, ele ainda teria tentado contra a vida de Leonardo dos Santos Silva. Conforme dados do inquérito policial, Haulles foi até a borracharia em que Joserlan e Leonardo trabalhavam e, após ficar insatisfeito com estes por causa do preço do conserto do pneu de sua motocicleta, retornou ao estabelecimento munido de uma faca.

Ato contínuo, ele teria desferido algumas facadas nos dois homens, tendo a vítima Joserlan falecido em decorrência dos ferimentos, ao tempo em que a vítima Leonardo conseguiu reagir e afugentar o acusado, que fugiu na motocicleta. Em interrogatório, a vítima Leonardo Sousa afirmou que a negociação inicial sobre o conserto da motocicleta se deu entre as vítimas e o irmão do acusado, Hallry, o qual, após conversar bastante, saiu e voltou com o acusado, que teria entrado na borracharia golpeando-os. O irmão do acusado afirmou que no dia dos crimes, seu irmão e ele estavam comemorando o nascimento de sua sobrinha, ocasião em que beberam cerveja num bar da cidade.

Eles saíram do estabelecimento e verificaram que o pneu da moto que pilotava estava furado, motivo pelo qual deixou a motocicleta na oficina das vítimas e encarregou o irmão de buscá-la. Por fim, disse que as vítimas foram muito educadas e não agiram de maneira ofensiva nos atendimentos que fizeram a ele. O acusado Haulles, por sua vez, confessou que praticou os fatos denunciados e que estaria embriagado. Ele disse que fugiu e tirou sua tornozeleira por medo de ser pego e sofrer retaliação. Por fim, afirmou que se arrependeu dos crimes cometidos e deseja pagar por eles.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.