Improbidade Administrativa

Dirigentes de associações comunitárias são acionados pelo MP

Quatro ex-presidentes vão responder às Ações Civis Públicas.

Imirante Imperatriz,com informações da assessoria

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h41
(Arte: Maurício Araya/Imirante.com)

BURITICUPU – Durante as ações na Comarca de Buriticupu, em junho, o Grupo de Promotores Itinerantes (GPI) do Ministério Público (MP), além de acionar vários gestores públicos, ajuizou quatro Ações Civis Públicas por improbidade administrativa, contra ex-presidentes de fundações e associações comunitárias nas cidades de Buriticupu e, Bom Jesus das Selvas.

De acordo com o GPI, o ex-presidente da Associação dos Pequenos Agricultores Rurais da Trilha do Aeroporto de Buriticupu, Edson Sousa dos Santos é alvo de duas ações civis, pela não prestação de contas dos recursos públicos recebidos pela entidade.

Segundo o MP, os convênios, que somam mais de R$ 280 mil, deveriam ter sido usados no melhoramento de acessos nos povoados da Trilha do Aeroporto.

Pelo mesmo motivo foram acionados ainda Nelma Celeste Marques de Pinho, ex-presidente da Associação Fundação Assistencial Vieira Castro, também de Buriticupu e, Luiz Gonzaga Rocha Silva, presidente Associação Casa Familiar Rural Padre Josino Tavares, de Bom Jesus das Selvas.

Em todos os casos, embora os convênios tenham sido executados, os dirigentes das entidades cometeram improbidade administrativa.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.