Alerta!

Anvisa proíbe pomadas capilares que podem causar até cegueira temporária

Pacientes relataram a ocorrência de eventos adversos graves após o uso.

Portal Brasil 61

- Atualizada em 22/01/2023 às 10h08
Produtos podem oferecer algum tipo de risco à saúde, segundo Anvisa.
Produtos podem oferecer algum tipo de risco à saúde, segundo Anvisa. (Foto: Marcelo Camargo)

BRASÍLIA - Nesta semana, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a restrição de 15 pomadas para trançar cabelos. Os produtos são alvo de investigação por parte da Anvisa e dos órgãos de vigilância sanitária local, devido a relatos de pacientes sobre a ocorrência de eventos adversos graves após o uso. 

Segundo a agência, todos esses produtos podem oferecer algum tipo de risco à saúde. Em nota, a Anvisa afirmou que “segue acompanhando todos os fatos relatados com relação às pomadas capilares e conta, também, com a atuação dos órgãos de vigilância sanitária dos estados e municípios, de modo que todos os produtos envolvidos com os relatos de problemas de visão estão sendo investigados” e que “as medidas sanitárias cabíveis serão tomadas com a maior agilidade possível”. Com isso, novos produtos podem sofrer sanções, a partir dos resultados das investigações.  

A médica oftalmologista Lara Picanço, do Hospital de Olhos, explica a causa dos sintomas, que podem chegar à cegueira temporária. “O que ocorre, na verdade, é o que chamamos de queimadura química da córnea e da conjuntiva que, em alguns casos, podem ser graves, particularmente quando estão envolvidos ácidos fortes ou substâncias álcalis. As queimaduras podem causar necrose do tecido, dependendo do tipo de substância, pode haver penetração mais profunda e tendem a ser mais graves”, explica a doutora.

Entre as medidas tomadas estão o recolhimento, interdição cautelar, suspensão e proibição da comercialização, distribuição, fabricação e uso; conforme cada caso. Inicialmente, na segunda-feira (16), oito modelos de pomadas modeladoras tiveram a fabricação proibida pela agência, enquanto que, nesta quinta-feira (19), foram cinco interdições cautelares para realização de testes, uma suspensão e outra proibição.

Como proceder

Em caso de compra dos produtos irregulares, a Anvisa recomenda que não se faça uso de nenhum deles. A agência recomenda ainda que, aqueles que tiverem adquirido as pomadas, entrem em contato com o fabricante a fim de verificar a forma de devolução.

No caso de quem fez uso recente de algum dos produtos mencionados, deve observar o cuidado ao lavar os cabelos, para que o produto não entre em contato com os olhos. No sinal de qualquer efeito adverso, a recomendação é procurar imediatamente o serviço de saúde mais próximo e informar a Anvisa pelos seguintes endereços eletrônicos: Cidadãos e profissionais que manejam produtos cosméticos e Empresas e profissionais da saúde (após realização de cadastro).

No site da www.consultas.anvisa.gov.br é possível consultar a regularidade dos produtos.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.