Checagem

Postagem engana ao associar o PT e Lula a apreensão de drogas no MS

Tal ligação também foi descartada pela Polícia Civil do MS.

Imirante.com / Projeto Comprova

- Atualizada em 22/07/2022 às 16h40
Enganoso, para o Comprova, é o conteúdo retirado do contexto original e usado em outro de modo que seu significado sofra alterações.
Enganoso, para o Comprova, é o conteúdo retirado do contexto original e usado em outro de modo que seu significado sofra alterações. (Foto: Divulgação / Projeto Comprova)

BRASIL - É enganosa a postagem que tenta ligar o Partido dos Trabalhadores (PT) e o candidato à presidência pelo partido, Luiz Inácio Lula da Silva, a uma apreensão de maconha no Mato Grosso do Sul (MS). O vídeo mostra fardos com a droga que trazem adesivos de identificação, um deles com a estrela vermelha, símbolo do partido, e a inscrição “Todo mundo merece uma xícara de café e Lula presidente.”

Há outros adesivos do tipo, um deles com o emblema do Clube de Regatas do Flamengo. A gravação omite trecho de entrevista com um agente do Departamento de Operações de Fronteira (DOF) no qual ele explica que as marcações são aleatórias e servem apenas como código para identificar o dono do material caso ele chegue ao seu destino, mas que não guardam relação entre os donos das marcas utilizadas (PT e Flamengo) e os traficantes de drogas. Tal ligação também foi descartada pela Polícia Civil do MS.

Conteúdo investigado: Postagem no Twitter mostra vídeo de uma operação policial no Mato Grosso do Sul. Um dos pacotes de drogas apreendidos tem um adesivo que diz: “Todo mundo merece uma xícara de café e Lula presidente”. Na legenda da postagem, o autor afirma: “Se vc tem família e acha que está certo votar nessa raça, BOA SORTE….”

Onde foi publicado: Twitter.

Conclusão do Comprova: Tuíte engana ao sugerir relação entre o Lula e traficantes de drogas em episódio de apreensão de uma carga com cerca de sete toneladas de maconha no Mato Grosso do Sul, em 14 de julho deste ano. A relação é traçada a partir da seguinte inscrição que aparece em alguns dos fardos com a droga: “Todo mundo merece uma xícara de café e Lula presidente”.

De fato a inscrição estava presente em alguns dos fardos, assim como havia outras que traziam, por exemplo, o emblema do Clube de Regatas Flamengo. Porém, tanto o DOF, órgão da PM local responsável pela apreensão, quanto a Polícia Civil do MS, responsável pelas investigações, descartaram indícios da relação entre o PT e Lula com os traficantes de drogas.

Conforme explicou o DOF, as inscrições são aleatórias, e servem apenas como código de identificação do proprietário da droga caso ela chegue ao seu destino final. A estratégia, segundo o DOF, configura o que a polícia chama de Consórcio do Tráfico, em que diferentes organizações criminosas se unem para dividir os custos com o transporte e reduzir prejuízos caso a droga seja apreendida.

Enganoso, para o Comprova, é o conteúdo retirado do contexto original e usado em outro de modo que seu significado sofra alterações; que usa dados imprecisos ou que induz a uma interpretação diferente da intenção de seu autor; conteúdo que confunde, com ou sem a intenção deliberada de causar dano.

Alcance da publicação: Até o dia 21 de julho, a publicação teve 33 mil visualizações, 2.106 retweets, 217 tweets com comentários e 4.068 curtidas.

O que diz o autor da publicação: O Comprova não conseguiu contato com @Emerson04974853, autor da publicação, pois, no Twitter, o perfil não aceita o envio de mensagens diretas.

Como verificamos: Para começar, o Comprova pesquisou sobre a apreensão de sete toneladas de maconha no Mato Grosso do Sul. A busca retornou notícias de jornais locais sobre a operação do DOF. Também foi procurada no Google a frase: “Todo mundo merece um café e Lula presidente”.

Em seguida, a equipe procurou pelo vídeo feito pela RIT TV sobre a operação. Por meio de uma busca reversa dos frames do vídeo, também foram procurados em que outros locais foram publicadas notícias sobre a operação.

Por fim, a equipe entrou em contato com o DOF, a Secretaria de Segurança Pública e a Polícia Civil do Mato Grosso do Sul, a Polícia Federal e a assessoria do PT.

Apreensão de drogas no Mato Grosso do Sul

A publicação aqui verificada mostra trecho de uma entrevista coletiva com o capitão Eduardo Garcia da Costa Marques, do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), do Mato Grosso do Sul, que ocorreu em 14 de julho. Ele fala sobre a abordagem dos policiais que apreenderam 6,9 toneladas de maconha escondidas em um caminhão com carregamento de milho na rodovia MS-386, entre os municípios de Ponta Porã e Amambaí, na fronteira do Mato Grosso do Sul com o Paraguai. O motorista do caminhão foi preso em flagrante. Ele disse que receberia R$ 50 mil para fazer o transporte, caso a carga chegasse ao destino final.

A apreensão da droga foi noticiada por veículos locais do Mato Grosso do Sul (1 e 2) e também foi confirmada ao Comprova pelo DOF. Além disso, pelo site do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul é possível conferir os autos da prisão em flagrante do motorista e que a prisão dele foi convertida em preventiva no dia 15 de julho.

No vídeo compartilhado, é possível ver um microfone da RIT TV, emissora de Dourados, que pertence à Fundação Internacional de Comunicação, braço midiático da Igreja Internacional da Graça de Deus. O repórter da emissora faz perguntas ao policial. Porém, há ainda outras pessoas no momento acompanhando a coletiva, inclusive quem grava o vídeo aqui verificado, cuja identidade não foi possível confirmar.

Apesar de aparecer o microfone da RIT TV na gravação, a reportagem da emissora, disponível no Facebook, foi gravada de um ângulo diferente e não faz nenhuma menção ao Lula ou ao PT. A entrevista completa do capitão Eduardo Garcia da Costa Marques também pode ser conferida em vídeo postado na página do jornalista policial Osvaldino Duarte.

O adesivo alusivo ao PT

Em certo momento, a pessoa que grava mostra os pacotes da droga e os adesivos afixados na embalagem. Um deles tem o escudo do Flamengo e outro tem a frase “Todo mundo merece uma xícara de café e Lula presidente” e o desenho de uma estrela, em alusão ao PT.

Conforme explicado pela própria fala do capitão Eduardo Garcia da Costa Marques no vídeo investigado e na reportagem da RIT TV, os adesivos servem para indicar de quem é cada pacote, já que a suspeita é que a carga pertença a diferentes donos, que se unem em um esquema chamado pela polícia de Consórcio do Tráfico.

Conforme explicações do DOF ao Comprova, “esses emblemas são muito comuns nas apreensões de entorpecentes e grandes cargas e servem meramente para indicar o proprietário da droga transportada em um sistema que chamamos de Consórcio do Tráfico”.

Ainda segundo o DOF, não há nenhum indicativo de que as instituições ligadas ao adesivo, como o PT e o Flamengo, tenham alguma relação com a droga apreendida. “Essas marcações de propriedades não possuem indicativos da participação do órgão oficial dono da marca afixada nos fardos. Os adesivos são apenas o meio utilizado para identificação da propriedade do entorpecente se caso esta chegasse ao seu destino final. A fala do policial do DOF foi retirada de contexto no vídeo publicado, já que o mesmo excluiu a parte inicial do vídeo onde o policial explica o sistema de Consórcio do Tráfico e que as marcações são exclusivamente para identificar seus proprietários caso o entorpecente chegasse ao destino final.”

A assessoria do DOF encaminhou ao Comprova o link da transmissão completa da entrevista que foi postada na página do jornalista policial Osvaldinho Duarte.

A Polícia Civil do Mato Grosso do Sul, responsável pela investigação do caso, afirmou que não há nenhum indício de envolvimento de alguém do partido no caso. “Informamos que não há qualquer relação da apreensão com o candidato à presidência Luiz Inácio Lula da Silva, ou com o Partido dos Trabalhadores”, disse em nota.

A arte usada nos adesivos foi usada anteriormente no Twitter do vereador de São Paulo Chico Macena (PT) e em uma página do PT do Rio Grande do Sul, em maio. Questionada sobre o emblema, a página do PT apenas afirmou que fez a postagem para os apoiadores. Já a assessoria nacional do PT garantiu que a peça de publicidade não foi criada pela seção nacional do partido.

“Este slogan não foi criado pelos canais oficiais de comunicação do PT nacional, com certeza”, respondeu a assessoria.

Por que investigamos: O Comprova investiga conteúdos suspeitos que viralizam na internet e envolvem as eleições presidenciais deste ano, a realização de obras públicas federais e a pandemia da covid-19. No tuíte aqui verificado, é traçada relação enganosa entre Lula, o PT e traficantes de drogas, o que pode prejudicar o processo eleitoral a partir da disseminação de uma inverdade.

Outras checagens sobre o tema: Em checagens mais recentes que envolvem o processo eleitoral, o Comprova mostrou que vídeo falso fez uma montagem para afirmar que Lula havia declarado voto em Bolsonaro, que o atual presidente foi aplaudido por embaixadores e encontro do dia 18, ao contrário do que afirmava post, e que Lula não disse querer implantar o comunismo chinês no Brasil.

 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.