#Expredição45

Projeto leva internos do sistema penitenciário a se apresentarem no palco do Teatro Arthur Azevedo

A ação, promovida pelo grupo #Expredição45 em parceria com o TAA, foi uma prévia da Semana Maranhense de Dança.
Na Mira, com informações da assessoria23/11/2021 às 13h25
Projeto leva internos do sistema penitenciário a se apresentarem no palco do Teatro Arthur AzevedoMarcelo Grangeiro, ao lado de Damyla Maria, teve participação especial no espetáculo. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - Na noite do último sábado (20), o Teatro Arthur Azevedo (TAA) foi palco de uma apresentação especial: seis internos da unidade feminina e da ala LGBTQIA do Complexo Penitenciário de Pedrinhas integraram o projeto “Um Passo Para Cá: A Dança Liberta”. O espetáculo foi resultado dos cinco dias de oficina de dança e palestra ministrada pelo o coreógrafo e vencedor da Dança dos Famosos, Marcelo Grangeiro, na unidade prisional.

A ação, promovida pelo grupo #Expredição45 em parceria com o TAA, foi uma prévia da Semana Maranhense de Dança que será realizada entre os dias 5 e 11 de dezembro. Os internos se juntaram a integrantes de companhias de dança de São Luís e emocionaram o público presente, levando a mensagem sobre a importância de estender a mão e dar uma nova chance a quem deseja mudar de vida.

É o caso de Jade, interna da ala LGBTQIA+ que compartilhou o sentimento de se apresentar no palco de um dos teatros mais tradicionais do Maranhão. “Eu não sei como descrever minha felicidade. É um momento único. É o dia mais feliz da minha vida, sair de um cárcere para mostrar para o mundo um talento que nem eu sabia que tinha dentro de mim”, disse emocionada

Primeira vez em um teatro na vida, Cícera Célia comemorou o resultado dos dias de ensaio e o sentimento de liberdade de se ver em cima de um palco. “Quando começaram as aulas eu sequer dançava, e hoje estou aqui. Eu me senti uma pessoa mais livre, mesmo dentro da cadeia. Esse evento me trouxe um novo direcionamento”, afirmou.

A diretora do Teatro Arthur Azevedo, Bianka Marques, falou sobre o papel social do projeto, destacando o seu diferencial no objetivo de resgatar pessoas normalmente desamparadas pela sociedade. “Esse projeto é importante não só para nós que temos organizado a Semana de Dança, enquanto democratização do acesso a arte, como é importante para as pessoas que estão em situação de privação de liberdade e que querem uma outra oportunidade de recomeçar”, disse.

O diretor da #Expedição45, Rodrigo Gonçalves, também reiterou o papel social do projeto, cujo objetivo é estimular a ressocialização de internos do sistema carcerário maranhense. Ele destacou que ações como essa chamam a atenção de empresas interessadas em contratar pessoas em situação de privação de liberdade assim que deixam o complexo. “Nós vamos trabalhando, resgatando vidas. E eu posso dizer que vale a pena esse trabalho, porque cada vida que conseguimos direcionar, colocar num caminho ideal, convivência saudável com a sociedade, é gratificante”.

Estender a mão para quem está disposto a mudar, começa por ações como essa, que indiquem um caminho melhor para seguir. O diretor artístico do espetáculo, Clayton Tenório, enfatizou o caráter de ressocialização do espetáculo. “O projeto evoluiu para um espetáculo que tem o objetivo principal de ressocializar. Fazer com que as pessoas possam se dispor sobre aqueles que querem mudar de vida, querem ser reinseridos na sociedade. A ideia é dar oportunidade, todo mundo tem direito a uma segunda chance”.

O coreógrafo Marcelo Grangero celebrou a apresentação, celebrando os novos talentos encontrados em cada um e destacando que o papel da sociedade não é julgar, mas estender a mão a quem está disposto a mudar.

Saiba mais

Semana Maranhense de Dança

A Semana Maranhense de Dança chega, neste ano, à sua décima quinta edição. O evento é realizado com patrocínio do Grupo Equatorial Energia por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Governo do Estado e tem por objetivo fomentar a atividade cultural e toda a cadeia produtiva ligada à dança no Maranhão. A programação é composta por espetáculos, mostra coreográfica, mostra competitiva, Batalha Negro Cosme, workshop e webinars.

O homenageado desta edição é Marcelo Grangeiro, maranhense radicado em São Paulo e que teve mais evidência em sua carreira quando participou e ganhou o quadro “Dança dos Famosos” no “Domingão do Faustão”. Ele foi o professor da atriz Viviane Araújo. Natural de Imperatriz, Grangeiro iniciou sua carreira em Açailândia.

O projeto "Um Passo Pra Cá: A Dança Liberta" é uma parceria entre a Secretaria de Estado da Cultura do Maranhão (SECMA) e a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP).

Leia outras notícias em PortalNamira.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.