Em meio à pandemia

Projeto alimenta pessoas em situação de rua em São Luís

Quentinha Solidária conta com o apoio de voluntários e está realizando uma vaquinha virtual para manter a logística de preparo e distribuição semanal de marmitas.
Na Mira, com informações da Assessoria14/10/2020 às 14h53
Projeto alimenta pessoas em situação de rua em São LuísProjeto alimenta pessoas em situação de rua no Centro de São Luís. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - Todos nós tivemos a rotina alterada de algum modo pela pandemia, mas não há dúvidas de que as pessoas em situação de vulnerabilidade social foram as mais prejudicadas. Para quem já era invisibilizado antes da chegada do novo coronavírus, a situação se agravou com as necessárias medidas de distanciamento. Foi nesse contexto que surgiu o Quentinha Solidária, projeto que há cinco meses tem alimentado pessoas em situação de rua no Centro de São Luís com a ajuda de doadores e trabalhadores voluntários.

A iniciativa é apoiada pelo Laboratório de Design Social da UFMA (LabDeS), que recentemente lançou uma vaquinha virtual para financiar os custos no preparo das refeições entregues todo sábado a cerca de 150 pessoas na região do Mercado Central. Eventualmente, também são doados produtos de higiene e máscaras. A meta atual é arrecadar R$ 3.830 - dinheiro suficiente para manter o projeto durante um mês e meio. Link para doações.

Além da contribuição em dinheiro, há outras formas de apoiar o Quentinha Solidária. O projeto também está recebendo doações de mantimentos para a cozinha e aceitando o apoio de voluntários no preparo ou na entrega dos alimentos. Hoje, o grupo conta com 15 integrantes responsáveis pelo trabalho na cozinha, na distribuição de marmitas e na comunicação. As ações são divulgadas no Instagram @quentinhasolidariaslz.

Laboratório de Design Social

Criado com o propósito de conectar iniciativas e implementar soluções para questões relacionadas à pandemia, o LabDeS foi responsável pela mobilização inicial dos voluntários na distribuição de refeições na região central da cidade. O laboratório é coordenado pelo professor Delano Rodrigues, do Departamento de Design da UFMA, e conta atualmente com estudantes e profissionais do Design, da Saúde e da Pedagogia.

O grupo atua em três frentes: observando como as medidas de contenção da pandemia afetam diferentes grupos sociais, buscando parceiros para a execução de projetos e divulgando iniciativas já existentes para conectá-las a seus possíveis beneficiários e colaboradores.

Para saber mais, acesse o site do LabDeS.

Leia outras notícias em PortalNamira.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.