Re(o)cupa

Centro multicultural Upaon-Açu inaugura neste domingo

Espaço funcionará com programação diversificada, incluindo shows e exposições.
Na Mira15/04/2016 às 19h59
Espaço promoverá shows e exposições artísticas. Foto: Divulgação.

O centro multicultural Uapon-Açu – Re(o)cupa inicia as suas atividades neste domingo (17), a partir das 11h estendendo-se pela tarde e noite. Com uma vasta programação, a casa irá promover shows musicais, uma exposição de lambe-lambe, além de outras atrações. O espaço é aberto para as mais diversas manifestações artísticas e traz novas perspectivas culturais para o Centro Histórico de São Luís.

Para o dia de estreia foram convidados diversos artistas, entre eles a cantora Luciana Pinheiro e Seus Camaradas do Samba, o DJ Pedro Dread Locks, a performer Tieta Macau, a designer Maria Zeferina, com a instalação Marias, o grupo de percursão Maratuque Upaon-Açu, além das bandas Sulfúrica Billi e Coletivo Gororoba.

A ideia de criação de uma casa de cultura surgiu de um grupo de amigos, que resolveu investir tempo e dedicação para o projeto sair do papel. “A nossa motivação maior foi a vontade de reocupar o Centro Histórico, daí o nome da nossa casa. Mas não é ocupar simplesmente por ocupar. É retornar ao centro trazendo arte, cultura, economia criativa, consciência social, ambiental, diálogo com a comunidade, entre outras pautas diversas que guiam as nossa ações”, afirma Deuza Brabo, uma das idealizadoras do projeto.

Re(o)cupa: um casarão, múltiplos espaços

A sede do Re(o)cupa fica em um casarão amarelado, localizado na Rua Afonso Pena, nº 20. O espaço foi dividido em três ambientes que se comunicam para propor uma experiência diferenciada aos visitantes. São eles: A Casa Fala, Mercado das Pulgas e Rangar.

“A casa fala” é o local para artistas desenvolverem exposições de trabalhos como: resistência artística, mini feira de livros, saraus, encontros literários, oficinas, cineclube e debates sobre os mais variados temas. Além disso, o espaço é aberto para conversas com a comunidade sobre economia sustentável, saúde e arte em várias linguagens.

O segundo ambiente da casa é o Rangar: no local será feita a comercialização de comidas vegetarianas e veganas, além de promover uma feirinha orgânica com agricultores da Baixada, com o intuito de valorizar o pequeno produtor. Já o espaço “Mercado das Pulgas” é voltado para a economia criativa. Serão comercializadas peças para reuso por um preço reduzido, como livros, CD's, discos, fotos e artes plásticas.

Projeto é composto por dez imagens femininas. Foto: Divulgação.

Instalação Marias

Paralelamente às atrações musicais, a inauguração terá a instalação “Marias”, da artista e designer Maria Zeferina. O trabalho é composto por 10 imagens de mulheres, usando a técnica lambe-lambe, a partir de fotografias e manipulação de imagens em programas gráficos.

“O projeto começou a acontecer há seis meses, ao mesmo tempo em que fui percebendo como as mulheres que estavam próximas de mim interferiam no meu aprendizado e evolução enquanto ser humano, interferindo no trabalho que estou realizando, agora estimulado a sair do papel através do convite do centro cultural”, explica a artista. Maria Zeferina é curitibana e há quatro anos mora em São Luís.

Leia outras notícias em PortalNamira.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.