AFROBAILE

‘Território Corpo Queer’ entra na sua segunda semana de eventos

Confira abaixo a programação da segunda semana de eventos do fazer artístico Queer

Na Mira, com informações da assessoria

- Atualizada em 16/11/2022 às 08h56
‘Território Corpo Queer’ entra na sua segunda semana de eventos
‘Território Corpo Queer’ entra na sua segunda semana de eventos (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - Levando a população maranhense as diferentes perspectivas e subjetividades do fazer artístico Queer, a mostra artística 'Território Corpo Queer', realizada pelo Centro Cultural Vale Maranhão, leva ao público cursos, oficinas, espetáculos de entrada gratuita. 

Além de oficinas e espetáculos o Centro Cultural será ocupado por shows, performances e um baile estilo ball room, culturalmente reconhecidos no final dos anos 80 onde era ocupado por sua maioria por pessoas que eram descriminadas e marginalizadas na sociedade e por não se encaixarem na cultura normativa heterossexual.

(16 a 19/11 das 14h às 18h) Curso - Cinema Queer: Teoria, estética e semiótica desgenerada por Marina Costin

Uma das novidades deste ano no Território Corpo é o curso sobre o Cinema Queer, ministrado pela cientista social e doutora em cinema Marina Costin. O curso abrange os novos arranjos e composições estéticas que dão visibilidade a sujeitos que estavam fora do espaço fílmico – pessoas fora do padrão heteronormativo, que interseccionam com outros crivos, como raça, etnia, gênero e orientação sexual. Em cada aula haverá um filme e leituras de textos-base que instigam discussões entre os participantes em torno de questões como epistemologias do corpo e produção de subjetividades.

(16 a 19/11 das 15h às 19h) Oficina - O Corpo como Espaço Moldável: Processos Híbridos de Criação por Alma Negrot

A oficina “O corpo como espaço moldável” tem como objetivo apurar o olhar de forma sensível para o corpo e suas infinitas possibilidades por meio da maquiagem criativa.

Na imersão, será construído um laboratório poético onde materiais como sucata, papel, linhas, botões, rendas e itens rejeitados tem o seu valor deslocado para reconstruir os corpos através de histórias e afirmá-los como campo de batalha, resgatando memórias que conectam os participantes às suas identidades marginais.

(16/11 às 19h) Conversa Aberta - O queer, o marginal e a cena com Glamour Garcia e Ronaldo Serruya

Ronaldo Serruya e Glamour Garcia se reúnem para refletir sobre processos criativos, estética e política em corpos e atuações dissidentes, a partir de suas investigações artísticas. O queer, o marginal e a cena traz uma perspectiva da cena como elaboração da própria experiência vivida e agente desarticuladora dos processos de desigualdades estabelecidos pelo pensamento normativo.

(17/11 às 19h) Espetáculo - A Doença do Outro por Ronaldo Serruya

Ronaldo Serruya, ator e dramatugo do grupo XIX de Teatro, apresentará a peça-manifesto A doença do outro, que propõe um formato de palestra-performance, partindo de conceitos extraídos do feminismo negro e da teoria queer para aproximá-los da ideia de “outro” que perpassa os corpos positivos e os friccionando com relatos autobiográficos do autor e perfomer, que vive com HIV desde 2014. 

(18/11 às 20h) Espetáculo - Manifesto Transpofágico por Renata Carvalho

A atriz Renata Carvalho apresentará Manifesto Transpofágico, onde se veste de seu corpo travesti para narrar a historicidade de sua corporeidade.

O espetáculo acontecerá no Teatro Arthur Azevedo, com retirada de ingressos com 2 horas de antecedência na bilheteria.

(19/11, a partir das 17h) Evento - Afroball com Negroni Blyndex e DJ Gabi Leão

A programação de encerramento do Território Corpo Queer será a Afroball, que nasceu com o objetivo de difundir o afro baile e a cultura ballroom em São Luís.

Criada em Nova York, nos anos 80, por travestis, negras e latinas que perceberam a necessidade de impor novas realidades em uma sociedade excludente, a cultura ballroom é um espaço onde a pluralidade de corpos e vivências de protagonismo preto e transexual se encontram para performar em categorias e competir por prêmios e reconhecimento.

Na Afroball, as categorias serão:

𝐕𝐨𝐠𝐮𝐞 𝐁𝐞𝐠𝐢𝐧𝐧𝐞𝐫𝐬: para aqueles que estão começando no voguing, mas já encaixam a performance na batida da música.

𝐑𝐮𝐧𝐰𝐚𝐲 𝐰/ 𝐛𝐞𝐬𝐭 𝐝𝐫𝐞𝐬𝐬𝐞𝐝: categoria que julga as habilidades de caminhada e desfile. Serão aceitos dois tipos de caminhada: 𝐄𝐮𝐫𝐨𝐩𝐞𝐚𝐧 𝐑𝐮𝐧𝐰𝐚𝐲 – mais feminina, com poses e muito deboche – e 𝐀𝐦𝐞𝐫𝐢𝐜𝐚𝐧 𝐑𝐮𝐧𝐰𝐚𝐲 – mais masculina, sem tantas brincadeiras e extravagância.

𝐅𝐞𝐦𝐦𝐞 𝐐𝐮𝐞𝐞𝐧 𝐏𝐞𝐫𝐟𝐞𝐜𝐭 𝟏𝟎’𝐬: Confiança no corpo e nas curvas, glamour, maquiagem que valorize a beleza, cabelos impecáveis... É o essencial para vencer essa categoria exclusiva para mulheres trans e travestis.

𝐕𝐨𝐠𝐮𝐞 𝐅𝐞𝐦𝐦𝐞: cinco elementos serão julgados nessa categoria – catwalk, duckwalk, spins e dips, hands performance e floor performance. Tudo deve estar no tempo da música.

Em todas as categorias os participantes devem estar usando branco e/ou preto e metais. Nenhum acessório usado pode cair durante as apresentações! Cada categoria pagará o prêmio de R$ 250,00. Haverá camarim disponível para competidores a partir das 16h30. O júri será composto por David Blyndex, Hera Vyper, Ana Yasuke, Sem Rot e Fuega. Como comentadores teremos Prince Negroni Blyndex e Lollytta Wakanda.

Quem comanda o som a partir das 17h com um longset é a DJ Gabi Leão. A ball começará pontualmente às 18h30. As inscrições para quem for caminhar na ball podem ser feitas diretamente pelo link no instagram da página do @afroball_.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.