Bem-estar

Ansiedade: A sociedade estimula essa emoção?

O Brasil é o país mais ansioso do mundo, mas para entender as razões desses dados é preciso realizar uma análise mais profunda.

Na Mira, com informações da assessoria

- Atualizada em 22/09/2022 às 10h21
O Brasil é o país mais ansioso do mundo, mas para entender as razões desses dados é preciso realizar uma análise mais profunda.
O Brasil é o país mais ansioso do mundo, mas para entender as razões desses dados é preciso realizar uma análise mais profunda. (Foto ilustrativa: (Sempre Bem - Pague Menos))

BRASIL - Inúmeras evoluções moldaram a sociedade como é hoje, anos e anos de desenvolvimento biológico e tecnológico, mas o que deveria ajudar a trazer mais benefícios à vida em  sociedade também é o culpado pelos altos índices de problemas mentais. 

O Brasil é o país com o maior número de profissionais de psicologia no mundo, mas esse grande número de psicólogos reflete um problema profundo da sociedade brasileira, os transtornos mentais.

De acordo com o PhD em neurociências, Dr. Fabiano de Abreu Agrela, na palestra “Pandemia da saúde mental: O adoecimento coletivo de uma geração”, os efeitos da pandemia na saúde mental da sociedade somente potencializaram os problemas gerados pelo próprio contexto social brasileiro.

“A pandemia em si, o confinamento, aumentou a ansiedade e fez com que vários problemas fossem desenvolvidos de forma mais precoce”.
Dr. Fabiano de Abreu

De acordo com Dr. Fabiano, a sociedade gera pressões que estimulam o estresse e a ansiedade, que culminam na necessidade de uma válvula de escape, os smartphones, criando dependência das microdoses de dopamina que ele ajuda a liberar.

“Um dos principais fatores que tornam a sociedade brasileira a mais ansiosa do mundo é a violência. A ansiedade é uma pendência, faz parte do instinto, por isso, uma sociedade mais violenta gera uma sociedade mais ansiosa, é muito fácil refletir sobre isso, quando você está dormindo, escuta um barulho e já imagina que pode ser alguém tentando invadir a sua casa, isso faz com que sua ansiedade aumente”. 
Dr. Fabiano de Abreu

Além disso, a competitividade em que a sociedade está inserida estimula uma busca cada vez maior por status social, que gera uma ansiedade por resultados e pode ajudar a aumentar o estresse.

Um indivíduo ansioso e estressado tende a buscar recompensas rápidas e fáceis para “anestesiar” a sua ansiedade e toda a atmosfera negativa que ela traz, para isso, ele recorre a uma fonte aparentemente inesgotável de dopamina, as redes sociais.

“É muito fácil se conectar ao Instagram, ao TikTok, para postar uma foto e acreditar que as pessoas te aceitam, é uma insegurança que aumenta cada vez mais e estimula a sua ansiedade. Quando você espera a recompensa por uma foto postada, ela nunca será igual, a mesma foto, no mesmo local, sob as mesmas circunstâncias não libera a mesma quantidade de dopamina, o que gera a necessidade de uma busca incessante por mais recompensas, criando um vício”.
Dr. Fabiano de Abreu

O isolamento causado pela pandemia não foi o principal fator responsável por gerar a sociedade ansiosa, estressada e narcisista que vemos hoje, apenas acelerou os resultados das pressões sociais que nosso cérebro não é capaz de lidar.

A sociedade e a tecnologia evoluem em uma velocidade muito acima do cérebro, por isso, ele não consegue “decodificar” corretamente a interação com telas, por exemplo, por isso, é importante cultivar um estilo de vida mais simples e primitivo, priorizando coisas simples, fé, evitando os falsos prazeres trazidos pelas redes sociais, essa é a chave para se “blindar” dos transtornos mentais causados pela sociedade.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.