Aniversário de São Luís

Dia Municipal do Tambor de Crioula é festejado na segunda noite de festa da Prefeitura em homenagem aos 410 anos de São Luís

Programação, que contemplou os povos de matriz africana, foi marcada pela apresentação da cantora Mariene de Castro, defensora dos direitos dos povos de axé

Na Mira, com informações da Prefeitura de São Luís

- Atualizada em 07/09/2022 às 15h14
Dia Municipal do Tambor de Crioula é festejado na segunda noite de festa da Prefeitura em homenagem aos 410 anos de São Luís. (Foto: Divulgação)
Dia Municipal do Tambor de Crioula é festejado na segunda noite de festa da Prefeitura em homenagem aos 410 anos de São Luís. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - Depois da noite de abertura dedicada aos regueiros maranhenses, foi a vez da batida do tambor de crioula dar o tom da festa alusiva ao aniversário de 410 anos de São Luís na Praça Maria Aragão. A programação organizada pela Prefeitura de São Luís para a terça-feira (6) homenageou o Dia Municipal do Tambor de Crioula e contemplou as religiões de matriz africana. Além do show da cantora Mariene de Castro, mais de 40 grupos de tambor de crioula participaram do evento. 

“Hoje, damos continuidade a essa festa especial em homenagem à nossa querida e amada cidade. Um evento pensado para atender a todos os gostos, pois fizemos questão de trazer a este palco todos aqueles que representam a história de São Luís, contada também pelos povos de matriz africana, que nesta noite fazem uma participação marcante dentro da nossa vasta programação”, frisou o prefeito Eduardo Braide, que marcou presença ao lado da primeira-dama, Graziela Braide.

Os trabalhos foram abertos com uma saudação a Exu, orixá guardião da comunicação, abridor de caminhos e uma das entidades mais cultuadas pelos adeptos das religiões de matriz africana no Brasil. Quem protagonizou foi Mãe Kabeca de Xangô, da Casa Fanti Ashanti. Em seguida, Lúcia Gato, do Grupo de Mulheres Negras ‘Mãe Andresa’ e integrante do Grupo de Estudos Feminismos Negro ‘Marielle Franco’ fez a leitura de um manifesto dos povos de terreiro sugerindo políticas públicas para a salvaguarda desses espaços religiosos.

“Nessa carta de intenções, há uma série de propostas a serem colocadas na mesa do poder público. Achamos essa uma ótima oportunidade para isso. Aliás, parabenizamos a Prefeitura de São Luís por ter se posicionado dessa maneira, colocando a cultura afro-religiosa no centro desta grandiosa festa. Hoje é um dia muito importante para todos nós”, disse Lúcia Gato.

O Hino de São Luís foi executado pela cantora Gisele Padilha, em ritmo de tambor de mina. Representantes de diversos terreiros fizeram participações especiais ao longo da noite. Foi o caso de Mãe Nonata da Oxum, do Terreiro Nossa Senhora da Vitória, que entoou o Hino da Umbanda.

“Nós estamos bastante satisfeitos com a postura do governo municipal, que nos dá visibilidade e nos ajuda, também, para o enfrentamento e combate à intolerância religiosa. Este momento é de suma importância para nós. A Secretaria Municipal de Cultura está de parabéns”, elogiou Mãe Nonata da Oxum. 

Pais e mães de santo destacaram elementos do candomblé, umbanda, terecô e mina. Depois, entraram em cena os tambores de encantados.“Para nós, o que está acontecendo aqui é algo inédito, pois nenhum outro governo municipal nos contemplou desta maneira na festa oficial em homenagem a São Luís. Uma prova de que estamos sendo reconhecidos”, destacou Pai Airton Gouveia, da Casa Ilê Ashé Ogum Sogbô, do bairro Liberdade, que marcou presença com cerca de 50 pessoas.

A cantora Mariene de Castro foi bastante aplaudida ao surgir no palco com um figurino marcante representando o “Ouro de Oxum”, assinado pelo figurinista Wilson Ranieri. Muita gente chegou cedo especialmente para ver a cantora de perto. “Ela é maravilhosa e canta com a alma e o coração. É a primeira vez que vou assistir a um show dela ao vivo. Só vejo pela internet”, disse a autônoma Ameliane Muniz, moradora do bairro Anil.

A baiana de voz firme que em sua obra defende a dignidade do povo negro protagonizou o show “Povo de Santo”, interpretando, entre outras, canções famosas nas vozes de maranhenses como Alcione e Rita Benneditto.

“Hoje é um marco para a história de São Luís e para a minha, pois sou representante da cultura popular e herdeira dos povos afro-indígenas. Testemunhar essa gente cantando com dignidade, abrindo os caminhos e sendo respeitada pelo povo maranhense é libertador. Estou orgulhosa de estar aqui e enfatizo que nós não toleramos qualquer quebra dos nossos direitos”, disse a artista.

Mariene de Castro despontou no cenário musical brasileiro identificada como uma “força da natureza”. Na adolescência, ela soltava a voz como integrante do grupo Timbalada, de Carlinhos Brown. Em 1996, teve a oportunidade de realizar seu primeiro show solo, no Pelourinho. No mesmo dia, na plateia estavam produtores franceses que a convidaram para uma turnê por 20 cidades da França.

Programação

Nesta quarta-feira (7), Dia da Independência do Brasil, o público vai cantar com João Gomes, que abrilhantará a “Noite do Piseiro”, com a participação, também, de Bruno Shinoda e Fabrícia. Amanhã, data do aniversário de São Luís, quem estará no palco é o carioca Diogo Nogueira, atração principal da “Noite do Samba”, que terá, ainda, a presença da banda maranhense CDC e convidados.

Na sexta-feira (9), Silvanno Salles e Wanderley Andrade comandam a “Noite do Arrocha/Brega”, com duas atrações locais: a banda Mesa de Bar e a cantora Fabiana Alves. Para o dia 10, está confirmada a cantora evangélica Aline Barros, além das bandas Fogo & Glória e Marcados.

Encerrando a programação de shows na Maria Aragão, os cantores católicos Diego Fernandes e Adriana Arydes se apresentarão na “Noite Católica”, no dia 11, com a participação do cantor Gabriel Kzam.

Estrutura e serviços

Quem se dirige à Praça Maria Aragão para prestigiar a festa em homenagem a São Luís elogia a estrutura e todas as ações pensadas pela Prefeitura para proporcionar conforto e comodidade à população. Até o dia 11, estão sendo disponibilizados serviços de saúde, segurança e fiscalização do comércio informal, além de uma frota reserva de ônibus que permanece no Terminal de Integração da Praia Grande das 22h às 2h.

Além disso, um efetivo da Guarda Municipal está na área para rondas estratégicas em pontos mapeados para coibir ações ilícitas como roubos e depredação do patrimônio público. Guardas municipais de vários grupamentos circulam por todo o perímetro da Maria Aragão com reforço da Ronda Ostensiva, atuando de maneira sincronizada com os operadores do sistema de videomonitoramento. A Blitz Urbana, por sua vez, atua no disciplinamento do comércio informal para preservar a ordem urbanística. São 26 agentes por equipe.

Na área, há, ainda, uma Unidade de Suporte Avançado e um ambulatório com uma técnica e uma enfermeira para atendimento eventual. Os técnicos da Superintendência de Vigilância Sanitária também estão trabalhando, fiscalizando a venda de alimentos. A segurança é garantida pela Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.