"Delírios da Quarentena"

Artista plástico João de Deus realiza exposições em São Luís e São José de Ribamar

As obras são da sua exposição intitulada "Delírios da Quarentena".

Gabrielle Siebra / Na Mira

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h03
Fotos da exposição de João de Deus no Museu Histórico e Artístico do Maranhão.
Fotos da exposição de João de Deus no Museu Histórico e Artístico do Maranhão.

SÃO LUÍS - O artista plástico João de Deus expõe suas obras em museus e galerias da Grande São Luís. Na cidade de São José de Ribamar, o artista organiza uma extensão de sua exposição intitulada "Delírios da Quarentena" na Galeria Alberico Mouta, dos dias 19 de março ao dia 04 de abril.

João de Deus define sua exposição "Delírios da Quarentena" como um "Reencontro com minha alma de cores". Em uma momento delicado da história do mundo, o artista buscou a arte como seu principal refúgio para os dias de confinamento dentro de casa.

Fotos da exposição no Museu Histórico e Artístico do Maranhão.
Fotos da exposição no Museu Histórico e Artístico do Maranhão.

"É uma necessidade muito grande de me expressar, isso tudo vem do isolamento de fiquei de 2020. Fiquei de maio até dezembro praticamente sem sair de casa, quando criei aquelas obras.", contou João de Deus com exclusividade ao Portal Na Mira. O artista diz está perto com marco de 450 obras concluídas, com exposições pelas cidades de São Luís, no Museu Histórico e Artístico do Maranhão (MHAM), com cerca de 200 obras da coleção, dos períodos de 2020 e 2021,que ficará em cartaz de hoje (18), até dia 11 de junho, de segunda à sexta.

"No meu trabalho vem várias obras ao mesmo tempo, com o resto de tinta, de uma tela ou de uma pintura no papel que sobre então eu vou criando outras de forma que uma única obra as vezes gera quatro, cinco obras.", conta o artista plástico.

Leia também: Obras do artista João de Deus retrata experiência da pandemia

"Esta exposição é composta por trabalhos em várias dimensões, utilizando-se de diversas técnicas e suportes. Acrílica, carvão, aquarela e técnicas mistas em papel sulfite, papel jornal, papel canson, tecidos e telas. Alguns trabalhos emoldurados e outros apenas na chassi original em madeira."

A exposição de São José de Ribamar, que acontece na Galeria Alberico Mouta, é uma extensão da exposição que acontece no Museu Histórico e Artístico do Maranhão (MHAM), que contará com obras do artista de 2020, 2021 e algumas mais recentes de 2022 que são obras oriundas da mostra "Delírios da Quarentena".

Fotos da exposição no Museu Histórico e Artístico do Maranhão.
Fotos da exposição no Museu Histórico e Artístico do Maranhão.

" Na verdade a primeira exposição de "Delírios da Quarentena" com 67 obras, 43 para a Galeria de Artes Márcia Sandes e 23 obras no Centro Cultural do Ministério Público. Como eu continuei produzindo, naquela época eram cerca de 100 obras e foram escolhidas 67 para as exposições. Agora de 2020 para cá eu nunca parei de produzir. Então em breve chegarei as 450 obras e acredito que até o meio do ano eu chegue à 500 obras."

João de Deus também revelou com exclusividade que após o encerramento das exposições na Grande Ilha, o artista irá reunir 65 obras originais da mostra "Delírios da Quarentena" de 2020, irão ficar expostas definitivamente no centro cultural que leva o nome de seu avô, Felipe Vieira, em São José de Ribamar.

Fotos da exposição no Museu Histórico e Artístico do Maranhão.
Fotos da exposição no Museu Histórico e Artístico do Maranhão.

"Nelas (obras) se percebe a presença constante do desconhecido. A morte espreitando sempre. A maioria dos trabalhos apresenta cores vivas, mas subliminarmente se vê a sombra da morte. Semblantes sem rostos, visíveis, corpos embaçados ou achados na escuridão. As cores tentam sufocar a presença da morte, numa espécie de grito pela vida.", finaliza João de Deus Barros.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.