Polêmica

Após 30 anos, "bebê do Nirvana" processa banda por exploração sexual infantil

O álbum ''Nevermind'' foi lançado em 1991.

NA MIRA

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h01
Spencer alega ter sofrido exploração sexual infantil comercial.
Spencer alega ter sofrido exploração sexual infantil comercial. (Foto: Divulgação)

Uma das capas mais icônicas do mundo do rock ainda está dando o que falar mesmo após 30 anos de seu lançamento. O "bebê do Nirvana", interpretado pelo modelo Spencer Elden em 1991, aos quatro meses de idade, resolveu processar a banda pela utilização de sua imagem e alega que foi vítima de exploração sexual infantil.

Spencer alega que a imagem causou danos permanentes a sua imagem e abriu um processo contra a banda na Califórnia, nos EUA. Entre as partes processadas, estão 15 réus, incluindo Courtney Love, viúva do vocalista Kurt Cobain, membros da banda e a gravadora que lançou o álbum.

Os advogados de defesa de Spencer afirmam que houve exploração sexual infantil comercial, desde a infância até os dias atuais. Eles pedem uma indenização de US$ 150 mil (cerca de R$ 787 mil) de cada um dos envolvidos.

Ainda de acordo com os advogados, a imagem fez com que Elden fosse colocado como um trabalhador do sexo, pelo fato dele esta nu e tentando se agarrar a uma nota de dólar.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.