Saúde

Insônia: especialista alerta sobre a importância do diagnóstico correto

Parte dos casos de insônia tem relação com outros transtornos, de acordo com psiquiatra Juracy Saraiva.

Angra Nascimento / Na Mira

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h06
Médica psiquiatra Juracy Saraiva faz alerta para maus hábitos que potencializam a insônia.
Médica psiquiatra Juracy Saraiva faz alerta para maus hábitos que potencializam a insônia. (Divulgação)

Pesquisas nacionais e de fora do país sugerem um índice alto de problemas para dormir durante a pandemia de coronavírus. A insônia é um distúrbio que possui três categorias: insônia inicial (caracterizada pela dificuldade para iniciar o sono), insônia intermediária (quando é grande a dificuldade de manter o sono), e insônia terminal (com despertar precoce). Entretanto, independente do grau de insônia, a qualidade de vida do indivíduo geralmente é comprometida, afetando seu humor e prejudicando suas relações sociais, de trabalho e estudo.

Dessa forma, é importante ficar atento às possíveis causas do distúrbio, conforme explica a médica psiquiatra Juracy Saraiva. “Dores em geral, câimbras, pernas inquietas, apneia do sono, ruídos e interrupções na respiração que acontecem diversas vezes enquanto a pessoa está dormindo, doenças neurodegenerativas como a doença de Parkinson, e doenças psiquiátricas como a ansiedade e a depressão são alguns dos fatores que podem levar a insônia. Além disso, existem elementos de risco que também podem contribuir e estão muito presentes em nosso dia a dia”.

Juracy Saraiva afirma, ainda, que “maus hábitos como o uso de eletrônicos à noite, consumo de cafeinados e outros estimulantes ou medicamentos são considerados fatores que predispõe, aceleram e mantém a insônia”.

A especialista enumera uma série de medidas recomendadas para melhorar o sono na quarentena:

- Tente acordar e dormir sempre no mesmo horário;

- Depois de uma noite inquieta, não desconte cochilando durante o dia (ou encurte ao máximo as sonecas) ;

- Estabeleça uma rotina fixa, com horários pré-estabelecidos para trabalhar, se exercitar, comer e realizar atividades de lazer;

- Crie um ritual do sono, que envolva desconectar-se do celular e outros eletrônicos pelo menos uma hora antes de dormir e realizar algo relaxante, como tomar um banho, meditar ou ler;

- Se estiver com insônia, não fique se revirando na cama: levante e vá fazer alguma das atividades relaxantes descritas logo acima;

- Diminua o consumo de bebidas e alimentos com cafeína. Além do próprio café, chocolate, refrigerantes de cola, chá mate, chá preto e outros possuem essa substância;

- E por último, reserve sua cama e, de preferência, o quarto, para momentos de descanso real. Ou seja, nada de trabalhar deitado.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.