Cinema

Benzinho é o representante brasileiro na disputa por uma vaga no Prêmio Goya 2019

A 33° edição do evento será realizada no dia 2 de fevereiro de 2019.
Na Mira, com informações da Ancine15/09/2018 às 20h28
<i>Benzinho</i> é o representante brasileiro na disputa por uma vaga no Prêmio Goya 2019Cena do filme Benzinho. (Bianca Aun / Divulgação)

O longa-metragem “Benzinho”, de Gustavo Pizzi, foi escolhido como o filme brasileiro que irá disputar uma vaga para ser um dos quatro finalistas ao Prêmio Goya de Melhor Filme Ibero-americano.

A 33° edição do evento será realizada no dia 2 de fevereiro de 2019, na cidade de Sevilha, na Espanha. A premiação que acontece desde 1987 é organizada pela Academia das Artes e Ciências Cinematográficas da Espanha.

A escolha foi feita na sede da ANCINE, no centro do Rio de Janeiro por uma comissão de seleção composta de profissionais indicados por diversas entidades do setor audiovisual.

Participaram da comissão Josiane Osório de Carvalho, por indicação do Fórum dos Festivais; Marcelo Pimentel Müller, por indicação da Associação Brasileira dos Críticos de Cinema (ABRACCINE); João Daniel Sequeira Tikhomiroff, por indicação do Programa Brasil de Cinema; Adriana de Lucena Navais Dutra, por indicação da Academia Brasileira de Cinema; e Gustavo Ferreira Rolla, por indicação da ANCINE.

“Após debate sobre os filmes inscritos, a Comissão de Seleção propôs “Benzinho”, como representante brasileiro a ser indicado ao Prêmio Goya de Melhor Filme Ibero-americano, por ser uma obra cinematográfica com consistente marca autoral, força criativa ao apresentar um universo genuinamente brasileiro e capacidade de se comunicar com plateias de todo o mundo”, diz a ata.

O longa-metragem dirigido por Gustavo Pizzi conta a história de Irene (Karine Teles) que mora com o marido Klaus (Otávio Müller) e seus quatro filhos. Quando seu primogênito Fernando (Konstantinos Sarris) é convidado para jogar handebol na Alemanha, Irene terá poucos dias para superar a ansiedade e ganhar forças antes de mandar seu filho para o mundo.

Sua estreia mundial ocorreu na competição do Festival de Sundance e logo em seguida foi exibido no Festival de Roterdã. Venceu o prêmio de Melhor Filme pelo Júri e pela Crítica no Festival de Málaga e pelo Júri do Festival de Cinema Luso-brasileiro de Santa Maria da Feira. No festival de Gramado conseguiu quatro premiações: Melhor Filme pelo Júri da Crítica e pelo Voto do Júri popular, Melhor Atriz para Karine Teles, e Melhor Atriz Coadjuvante para Adriana Esteves. A produção é da Bubbles Project e coprodução da Baleia Filmes, Tv Zero, Mutante, Telecine, Canal Brasil. A Distribuição é da Vitrine Filmes.

“Benzinho” foi escolhido entre outras 20 produções habilitadas e analisadas. Os demais filmes inscritos foram: “A Filosofia na Alcova”, de Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez; “A Moça do Calendário”, de Helena Ignez; “A Tecnologia Social”, de Patricia Innocenti; “Antes Que Eu Me Esqueça”, de Tiago Arakilian; “Dedo na Ferida”, de Silvio Tendler; “Ferrugem”, de Aly Muritiba; “Henfil”, de Angela Zoé; “ Meu Corpo é Político”, de Alice Riff; “O Desmonte Do Monte”, de Sinai Sganzerla; “O Grande Circo Místico”, de Carlos Diegues; “Querida Mamãe’’, de Jeremias Moreira; “Xingu Cariri Caruaru Carioca”, de Beth Formaggini; “As Boas Maneiras”, de Juliana Rojas e Marco Dutra, “Ex-Pajé”, de Luiz Bolognesi; “Não Devore Meu Coração”, de Felipe Bragança; “Paraíso Perdido”, de Monique Gardenberg; “Praça Paris”, de Lucia Murat; “Silêncio no Estúdio”, de Emília Silveira; “Unicórnio”, de Eduardo Nunes; “Yonlu”, de Hique Montanari.

Leia outras notícias em PortalNamira.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2018 - Todos os direitos reservados.