'doença do beijo'

Anitta revela diagnóstico de Epstein-Barr

Mononucleose infecciosa é comum e pode apresentar sintomas parecidos com outras doenças de inverno.

Na Mira

- Atualizada em 04/12/2022 às 14h18
Anitta contou sua experiência durante o lançamento do documentário "Eu".
Anitta contou sua experiência durante o lançamento do documentário "Eu". (Foto: reprodução / Instagram Anitta)

BRASIL - A cantora Anitta deu um susto nos fãs ao revelar que foi diagnosticada com o vírus Epstein-Barr há poucos meses. O vírus conhecido como causador da "doença do beijo".

Anitta contou sua experiência durante o lançamento do documentário "Eu", produzido pela atriz Ludmilla Dayer para falar de sua luta contra a esclerose múltipla - doença que, segundo ela, foi causada pelo vírus.

A cantora Anitta disse que passou "pelo momento mais difícil da [sua] vida" quando a doença foi confirmada. Segundo ela, a relação com Ludmilla foi importante para que conseguisse se tratar no começo da infecção.

"Doença do beijo"

A mononucleose infecciosa, também conhecida como "doença do beijo", é causada pelo vírus Epstein-Barr através da saliva. vale destacar que apesar do nome popular, não é apenas o beijo que pode transmitir o vírus. Objetos como escova de dente, copos ou talheres compartilhados com uma pessoa infectada também podem ser meios de transmissão.

Segundo o Ministério da Saúde (MS), a doença é muito frequente nas grandes cidades, principalmente durante o Carnaval, e costuma atingir pessoas entre 15 e 25 anos.

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC), Seu período de transmissibilidade pode durar um ano ou mais. Passada a infecção, o vírus se torna inativo no corpo do paciente, podendo ser reativado em alguns casos.

Sintomas mononucleose

A mononucleose, e muitos casos, se manifesta de forma assintomática. Por isso, as pessoas podem transmitir sem sequer saber que estão com o vírus.

Quando há sintomas, eles podem ser confundidos com os de outras doenças respiratórias comuns. Por isso, uma boa maneira de confirmar o diagnóstico é por meio de um exame sorológico para identificar a presença de anticorpos.

Segundo o Ministério da Saúde, a doença pode causar:

  • febre alta;
  • dor ao engolir;
  • tosse;
  • dor nas articulações;
  • inchaço no pescoço;
  • irritação na pele;
  • amigdalite;
  • fadiga;
  • Inchaço do fígado.

 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.