Celebridades

Reynaldo Gianecchini posta foto no mesmo quarto de hotel que modelo e agita a web

Reynaldo Gianecchini e o modelo Wadih Vilela postaram fotos do mesmo quarto de hotel e agitaram a web com boatos de caso.

Na Mira

A pose que o ator aparece deitado na cama, é a mesma que o modelo, médico e ex-candidato a Mister Brasil 2022 pelo Mato Grosso do Sul, Wadih Vilela também aparece.
A pose que o ator aparece deitado na cama, é a mesma que o modelo, médico e ex-candidato a Mister Brasil 2022 pelo Mato Grosso do Sul, Wadih Vilela também aparece. (Foto: Reprodução/Instagram)

BRASIL - O ator Reynaldo Gianecchini, de 50 anos, agitou a web com uma postagem que aguçou a curiosidade de vários internautas na tarde de ontem (28). Em uma foto onde o ator está descansando em uma cama de um hotel em Pinhais, no Paraná, Gianecchini aparece no mesmo quarto, no mesmo dia em que o modelo Wadih Vilela também publicou fotos no local. 

"Obrigado, (nome do hotel) pelo aconchego nesse mês em Curitiba!!”, escreve o ator na legenda da postagem. A pose que o ator aparece deitado na cama, é a mesma que o modelo, médico e ex-candidato a Mister Brasil 2022 pelo Mato Grosso do Sul, Wadih Vilela também aparece.

Internautas também apontaram que o rosto do ator aparece na foto que foi publicada pelo modelo ao fundo. Aumentando cada vez mais os boatos de que estariam juntos. Gianecchini está há um mês em Curitiba gravando o filme "Uma família feliz" onde tem a atriz Grazi Massafera como par romântico.

Em entrevista ao "Flow Podcast" o ator falou sobre sua sexualidade e sobre como não se importa de falar sobre sua sexualidade.

"Existem muitas nuances e pouca gente fluida na sua sexualidade. Acho que a gente é um país de pessoas reprimidas. Quem quiser concordar comigo ou não, mas na minha percepção, eu acho isso. Acho que isso é um grande problema da humanidade você ser reprimido. Tudo que reprime aqui, a conta lá na frente vem, de uma forma distorcida, e não tão fluida", afirma o ator.

“Eu não me importo de falar sobre sexualidade, mas, na verdade, não há mais o que falar. Já falei milhões de vezes. Mas se precisar falar mais vezes, eu bato na mesma tecla, que é isso: um exercício de todo mundo olhar para si. Parar de olhar para o dos outros. Eu não acredito muito nessas gavetas que foram convencionadas. Acredito que cada um tem a sua sexualidade, que pode ser diferente. A minha, eu precisei fazer esse exercício. A vida foi me levando, e acho que eu fui corajoso de sair de uma gaveta”, finaliza. 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.