Mundo

Justiça do Egito determina fechamento de quatro emissoras de televisão

Renata Giraldi/Agência Brasil03/09/2013 às 08h29

BRASÍLIA – A Justiça do Egito determinou hoje (3) que sejam fechados os canais de transmissão da emissora de televisão Al Jazeera no país e de mais três redes - Al Yarmuk, Al Quds e Ahrar 25, ligadas à Irmandade Muçulmana, que apoia o presidente deposto Mohamed Mursi. Todas as emissoras são apontadas como religiosas, mas com ligações políticas.

De acordo com as autoridades egípcias, as emissoras não dispunham das autorizações necessárias e divulgavam informações incorretas que prejudicam o país e a população. As emissoras Ahrar 25, Al Yarmuk e Al Quds sofreram interrupções, anteriormente, várias vezes. A emissora Al Jazeera denunciou ser alvo de uma campanha do governo de críticas.

No dia 1º, três jornalistas estrangeiros independentes que trabalhavam para a Al Jazeera, em inglês, foram expulsos do Egito, enquanto os escritórios da estação de televisão no país voltaram a ser revistados e todo o material apreendido.

Um correspondente da Al Jazeera, em língua árabe, e um cinegrafista ficaram presos por mais de um mês, segundo a cadeia de televisão. As autoridades acusam a emissora de fazer uma cobertura parcial das manifestações e dos confrontos que se seguiram à destituição de Mursi.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.