Protestos

Forças Armadas apelam para a unidade nacional e o fim da vingança

Renata Giraldi/Agência Brasil05/07/2013 às 08h56

BRASÍLIA – As Forças Armadas do Egito apelaram pela unidade e a reconciliação no país, após terem destituído do poder o então presidente Mouhamed Mursi. Os militares pedem que não ocorra vingança e defendem o que chamam de "reconciliação nacional". A manifestação das Forças Armadas foi publicada na rede social Facebook.

O texto diz que devem ser evitadas "medidas de exceção e arbitrárias contra qualquer movimento político". Porém, há informações de que Mursi, aliados dele e líderes da Irmandade Muçulmana, movimento que apoiava o governo deposto, estão detidos pelas Forças Armadas.

A manifestação dos militares ocorre no momento em que os simpatizantes de Mursi, liderados por religiosos islâmicos, convocaram uma ação no Cairo, a capital egípcia. Para os militares, "as concentrações pacíficas e a liberdade de expressão são direitos garantidos para todos".

Ontem (3), o presidente interino do Egito, Adly Mansour, tomou posse. Os militares prometem promover eleições presidenciais, em data a ser definida, assim como mudanças na Constituição.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.