Faixa a Faixa

EP Casulo da cantora baiana Pitty é apresentado no Plugado, na Mirante FM

O disco tem quatro faixas: Diamante (Pitty, Drik Barbosa, Weks, marido da cantora; Busca Implacável (Pitty, Badsista, Jup do Bairro); Diário (Pitty, Monkey Jhayam, Mau, Bruno Buarque, Cris Scabello) e Simplesmente Fluir.

Pedro Sobrinho/Jornalista

- Atualizada em 27/03/2022 às 10h56
O EP da cantora e compositora baiana Pitty, no Plugado, na Mirante FM. Foto: Divulgação/Google
O EP da cantora e compositora baiana Pitty, no Plugado, na Mirante FM. Foto: Divulgação/Google (Pitty)

No faixa a faixa deste domingo (6/2), no PLUGADO, na MIRANTE FM, a anfitriã foi a cantora e compositora baiana, PITTY, com o seu EP recém-lançado CASULO.

A busca pela reinvenção continua firme na carreira de Pitty. No disco, a artista traz participações da nova cena, mantendo a inquietação, contemporaneidade e força musical sempre presentes em seus projetos.

O trabalho tem quatro faixas: Diamante (Pitty, Drik Barbosa, Weks – codinome do músico e produtor Daniel Weksler, marido da cantora), Busca Implacável (Pitty, Badsista, Jup do Bairro), Diário (Pitty, Monkey Jhayam, Mau, Bruno Buarque, Cris Scabello) e Simplesmente Fluir (Pitty, Pupillo).

Foi produzido um documentário, chamado Casulo Musical, dividido em quatro episódios de cerca de 20 minutos – cada um aborda os bastidores da gravação e o processo criativo das músicas do EP.

- Sempre quis fazer algo do tipo behind the track, mas de um jeito que todo mundo pudesse entender. Que fosse técnico o suficiente para quem curte ver produção, mas que fosse inteligível para quem não é necessariamente músico - explica Pitty.

Sem rótulo

Os episódios do filme, disponíveis aos poucos pelo YouTube, contam com a participação dos artistas que compuseram e gravaram as faixas com a cantora no EP: Drik Barbosa, Pupillo, Jup do Bairro, Badsista, Monkey Jhayam e a banda Rockers Control (Mau, Bruno Buarque e Cris Scabello).

- Eu não conversei com a galera antes dos depoimentos. Queria ver, à vera, a reação de todo mundo ouvindo a música finalizada. São reações espontâneas, sem combinar texto, nada”, diz. Sobre os convidados, afirma serem artistas que “admira, que trazem frescor à cena, que frequentam a música alternativa - informa.

Projeto Selo

Pitty, depois de mais de 20 anos de carreira, decidiu abrir um selo musical – o EP Casulo é o primeiro projeto do selo também de nome Casulo. A distribuição do EP é da gravadora Deckdisc.

- Pois é, neste momento estamos vivendo um pouco de cada vez e as coisas mudam rápido. É preciso flexibilidade. Com o selo, a ideia é escoar minha produção mais alternativa e também dar voz e espaço a tantos talentos existentes neste País - afirma.

Com a sua produtora audiovisual Setevidas, ela tem feito programas para web, conteúdos musicais, documentários – como o Casulo Musical – e videoclipes.

O EP Casulo foi gestado no canal de serviço de streaming de vídeo Twitch, em que Pitty se manteve em atividade durante a pandemia, apresentando músicas com convidados. Segundo ela, encontrar esse espaço virtual para continuar criando e se comunicando com seu público foi essencial no período.

- Ali eu pude experimentar livremente muitos formatos, e criei, junto com minha equipe, uma grade como uma web TV. Com editorias específicas, cada programa tinha seu próprio bumper in (nome), roteiro, pesquisa - lembra.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.