Panorama

Infectologista explica origem do Aedes aegypti e do Vírus da Zika

Rádio Mirante AM

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h00
(Foto: (Zeca Soares / Mirante AM))

O médico infectologista e professor do curso de Medicina da UFMA, Raimundo Cutrim, foi o entrevistado do radialista Jorge Aragão em sua estreia a frente do programa Panorama. O assunto da entrevista foi a nova epidemia do Aedes aegypti, mosquito que transmite a Dengue e agora também está conhecido por transmitir a febre Chikungunya e o Zika.

Durante a conversa o médico tratou de explicar melhor o que são essas doenças e que é o seu vetor de transmissão - o mosquito - sua origem e estadia em território brasileiro.

As teorias mais aceitas indicam que o Aedes aegypti tenha se disseminado da África para o continente americano por embarcações que aportaram no Brasil para o tráfico de escravos. Há registro da ocorrência da doença em Curitiba (PR) no final do século 19 e em Niterói (RJ) no início do século 20.

"O mosquito Aedes aegypti já está há 40 anos no Brasil. Ele foi erradicado em 1972 de São Luís, São José de Ribamar e Rosário. Ele foi erradicado também de belém e municípios próximos de Belém. Foi reentroduzido em 1975, em Salvador, e depois o governo brasileiro cruzou os braços e o Aedes aegypti voltou a aparecer em muitas cidades. Hoje não se sabe mais qual municípios ainda não tem o mosquito Aedes aegyptyi, que já se encontra até mesmo no Rio Grande do Sul", relembrou.

Sobre o Zika, o infectologista tratou de esclarecer sua origem e qual a maior preocupação no momento para toda a comunidade da medicina:

"A Zika era uma doença de macacos e depois que apareceu lá na África, e infeccionou cerca de vinte pessoas se espalhou pelo mundo inteiro. É uma doença nova que se conhece pouca coisa. Se acredita, como em outras viroses, que ela seja mais grave nos primeiros três meses de gravidez, mas se acredita também que em qualquer período da gravidez ela seja uma doença grave", explicou Raimundo Cutrim.

Ouça a entrevista:

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.