No setor industrial

Mapa do Trabalho mostra profissões em alta nos próximos anos no Maranhão

Construção e Meio ambiente devem demandar o maior número de profissionais.
Imirante.com, com informações da Assessoria20/11/2016 às 18h29
Mapa do Trabalho mostra profissões em alta nos próximos anos no MaranhãoO mapa mostra as atividades industriais que serão mais procuradas. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - As áreas que mais vão demandar formação profissional no Estado devem ser construção (66.646), meio ambiente e produção (24.595), metalmecânica (15.578), alimentos (9.547), energia (6.991), veículos (4.779), vestuário e calçados (4.595), tecnologias da informação e comunicação (4.196), madeira e móveis (2.844), petroquímica e química (2.401), mineração (2.150), papel e gráfica (934) e pesquisa, desenvolvimento e design (475).

O Maranhão terá de qualificar 145.731 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis técnico, superior e de qualificação entre 2017 e 2020. Esses profissionais trabalham na indústria ou em atividades de serviços ou comércio que atendem direta ou indiretamente ao setor industrial.

Os dados fazem parte do Mapa do Trabalho Industrial 2017-2020, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), para subsidiar o planejamento da oferta de formação profissional da instituição. A pesquisa também pode apoiar os jovens brasileiros na escolha da profissão e, com isso, aumentar suas chances de ingresso no mercado de trabalho. Em todo o Brasil, será necessário qualificar 13 milhões de trabalhadores em ocupações industriais nesse período.

A demanda por formação inclui a requalificação de profissionais que já estão empregados e aqueles que precisam de capacitação para ingressar em novas oportunidades no mercado. “O estudo demonstra a vitalidade do mercado de trabalho no Brasil no horizonte dos próximos quatro anos. Profissionais qualificados terão mais chance de aproveitar as oportunidades que surgirem quando a economia voltar a crescer e as empresas retomarem as contratações”, afirma o diretor-geral do Senai e diretor de Educação e Tecnologia da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Rafael Lucchesi.

Formação de técnicos

Para se tornar um técnico, o profissional precisa fazer um curso com carga horária entre 800h e 1.200h (1 ano e 6 meses). Esses cursos são destinados a alunos matriculados ou egressos do ensino médio e, ao final, o estudante recebe um diploma. Segundo o estudo, cinco áreas destacam-se na demanda por formação de técnicos, entre os anos de 2017 e 2020: Meio Ambiente e Produção (3.944 vagas), Construção (3.298 vagas), Energia (2.798 vagas), Metalmecânica (2.737 vagas) e Tecnologias de Informação e Comunicação (2.003 vagas).

De acordo com especialistas responsáveis pela elaboração do Mapa, a área de Meio Ambiente e Produção lidera a demanda por profissionais com formação técnica, entre outros fatores, porque as empresas passaram a ter maior controle sobre os impactos ambientais dos processos produtivos diante de mudanças recentes na legislação. Além disso, ganhos de produtividade podem ser obtidos com a melhoria na gestão do processo produtivo, medida importante em cenário de lenta recuperação econômica.

Metodologia

O Mapa do Trabalho Industrial é elaborado a partir de cenários que estimam o comportamento da economia brasileira e dos seus setores. A pesquisa projeta o impacto sobre o mercado de trabalho e estima a demanda por formação profissional (inicial e continuada).

Leia a íntegra do Mapa do Trabalho Industrial no Portal da Indústria.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.